Menu
sábado, 18 de setembro de 2021 Campo Grande/MS
Segurança Pública

Soraya e Tio Trutis vão à China importar sistema que reconhece rosto de cidadãos

Políticos de MS juntamente com a bancada do PSL querem criar projeto de reconhecimento facial em órgãos públicos

16 janeiro 2019 - 11h31Por Rodson Willyams

A senadora Soraya Thronicke e o deputado federal Tio Trutis acompanhados de outros parlamentares do PSL e do DEM estão na China cumprindo missão no exterior. A bancada composta de deputados federais e senadores do partido de Jair Bolsonaro querem apresentar um Projeto de Lei que permite a inclusão de tecnologia de reconhecimento facial em locais públicos para auxiliar as forças de segurança pública no combate ao crime e captura de suspeitos ou foragidos. Todos os parlamentares foram ao país a convite dos chineses.

Segundo o site UOL, a primeira capital onde o sistema seria instalado será o Rio de Janeiro. O sistema consiste em câmeras especiais que podem ser usadas por policiais ou instaladas em estações de trem e metrô, aeroportos, vias públicas de grande movimento de pedestres e até em pontos estratégicos de comunidades dominadas por traficantes e milícias. O custo estimado não foi divulgado até o momento.

A China tem em uso o maior e mais moderno sistema de vigilância do mundo, que usa o reconhecimento facial para identificar os cidadãos - e, desta maneira, prender criminosos e suspeitos. No país, existem 170 milhões de câmeras com essa capacidade e outras 400 milhões serão instaladas, de acordo com informações divulgadas pelo governo. Os equipamentos conseguem reconhecer o rosto das pessoas e fazer imediatamente a associação com suas informações registradas.

A iniciativa parte de um grupo de cerca de 20 parlamentares eleitos em 2018 pelo PSL, que conta com uma bancada de 52 deputados na Câmara e 4 senadores, e será apresentado pelo deputado Felício Laterça.

Bolsonaro criticou investimentos chineses no Brasil

Os parlamentares integrantes do partido do presidente Jair Bolsonaro foram convidados pelo governo chinês, que paga todas as despesas da viagem, em um momento de aproximação do Brasil com os EUA, que travam uma "guerra comercial" contra o país asiático, e de tensão nas relações brasileiras com a China.

Durante a campanha eleitoral, o presidente chegou a criticar os investimentos chineses no Brasil. A China é o principal comprador do Brasil no mercado externo, e reagiu afirmando que em qualquer desacordo comercial, o prejudicado seria o Brasil. De acordo com o empresário Vinícius Aquino, um dos organizadores da viagem junto ao governo chinês, a visita não tem viés ideológico.

Participam da viagem a senadora eleita Soraya Thronicke, os deputados eleitos Carla Zambelli, Daniel Silveira, Tio Trutis, Junior Bozzella, Felício Laterça, Bibo Nunes, Charlles Evangelista, Marcelo Freitas, Sargento Gurgel, todos do PSL, e Luís Miranda, do DEM. O atual deputado Alexandre Serfiotis (PSD) também faz parte do grupo.