Menu
Busca domingo, 15 de dezembro de 2019
Política

Soraya pede a Deus que abençoe Moro; senador no PE quer ele fora do cargo

Ministro da Justiça teve conversas vazadas quando era juiz; ele é questionado por isso na CCJ do Senado

19 junho 2019 - 11h07Por Celso Bejarano, de Brasília

O senador Humberto Costa, do PT do Pernambuco que, além de político, é médico e jornalista, logo depois de fazer perguntas ao ministro Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública), sugeriu ao ex-juiz da operação Lava Jato, que deixe o cargo.

A audiência acontece na manhã desta quarta-feira (19), na sala da CCJ (Constituição de Constituição e Justiça), colegiado presidido pela senadora sul-mato-grossense Simone Tebet.

A sessão, que já dura duas horas, foi proposta pelo próprio Moro, que teve diálogos telefônicos vazados e publicados pelo site noticioso Intercept Brasil. Nas conversas, segundo o publicado, Moro, que sentenciava os investigados na operação, Lula um deles, combinava estratégias aplicadas no processo judicial com os denunciantes, procuradores da República, no caso.

Logo depois da fala de Costa, a senadora sul-mato-grossense Soraya Thronicke (PSL), pediu a palavra e, ao contrário do senador petista, teceu fortes elogios ao ministro.

Advogada, Soraya disse não enxergar ilegalidade nos diálogos entre Moro e os procuradores do Ministério Público Federal. Por regra constitucional, juiz conversar com partes envolvidas na questão, orientá-los, no caso, conforme as conversas exibidas no site Intercept, é ilegal. 

“Parabéns e peço a Deus que o abençoe, você vai precisar muito disso”, disse a senadora a Sérgio Moro.

Na audiência, Moro segue contestando a autenticidade das conversas dele e os procuradores, divulgados no Intercept Brasil. Ele disse ainda que os diálogos vazados podem ter sido “adulterados”.

Além de Thronicke e Simone, o senador Nelson Trad (PSD-MS) também participa da audiência.