TJMS JANEIRO
Menu
domingo, 23 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Política

Vereadores querem punir Bernal, mas vão legalizar 'manobra política'

18 dezembro 2015 - 12h30Por Rodson Willyams

A Procuradoria-Geral da Câmara Municipal deve apresentar, na tarde desta sexta-feira (18), estudo jurídico sobre possíveis sanções ao prefeito Alcides Bernal, do PP, por suposta 'manobra política' para garantir empréstimo de US$ 56 milhões junto ao (Banco Interamericano de Desenvolvimento).

De acordo com o presidente da Casa de Leis, vereador João Rocha, do PSDB, o prefeito alterou o projeto do Reviva Centro por meio de decreto, sem o aval do Legislativo, caracterizando possível irregularidade. As alterações foram realizadas para que o município se adequasse às exigências do banco.


Mesmo assim, apesar do impasse, o tucano garante que, na próxima semana, o projeto deverá ser aprovado pelos demais pares do Poder Legislativo. "Esse projeto, todos nós conhecemos a história dele, vem desde a gestão do ex-prefeito Alcides Bernal, o Gilmar Olarte fez os encaminhamentos. Então ele [Alcides Bernal] não precisa fazer isso".

A pedido do BID, o prefeito solicitou que um dos artigos do projeto fosse mudado, o que previa garantias de pagamento ao banco. Como  forma de manobra, o prefeito Alcides Bernal tentou fazer a mudança por meio decreto no dia 23 de novembro, porém, a mudança não foi aceita e o projeto reformulado teve que ser encaminhado à Câmara Municipal de Campo Grande.

Assim que os parlamentares souberam da forma como o prefeito tratou a questão, o caso gerou revolta e histeria durante a sessão ordinária de quinta-feira (17). O vereador Paulo Siufi, do PMDB, chegou a sugerir que o prefeito fosse convocado para ir à Câmara prestar esclarecimentos e que o caso fosse registrado na polícia, além de denunciado no Ministério Público Estadual.

Ainda na sessão, o presidente João Rocha tentou acalmar os ânimos, mas não poupou críticas ao prefeito. Segundo ele, a Câmara serve para corrigir erros. "A Casa deve ser chamada para fazer essas alterações e nunca se negou a cumprir essas informações. [...] Agora ele insere os parágrafos causando uma situação estranha. Ele vai cumprir com a obrigação dele".

Apesar da confusão, o projeto deve entrar em pauta na última sessão do ano, que acontece na próxima terça-feira (22). O Reviva Centro prevê a revitalização da região central de Campo Grande.