TCE JUNHO 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
segunda, 27 de junho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
Repórter Top

VÍDEO: mãe se irrita e prova para médico que filha tinha pneumonia na UPA Vila Almeida

Mulher disse que precisou insistir por uma radiografia e comprovar doença grave da criança

04 maio 2018 - 11h43Por Thiago de Souza

Vídeo nas redes sociais mostra o desespero de uma mãe que teria insistido com médicos para provar que a filha estava com pneumonia. Ela e outros pacientes na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Vila Almeida denunciam descaso dos profissionais da saúde ao não pedirem radiografia da criança, que estaria convulsionando em razão da febre.

O caso ocorreu na noite desta segunda-feira (30). Houve tumulto, onde pacientes nervosos entravam nas salas de atendimento e exigiam serem consultados.   

''Ela passou xarope pra minha filha, não fez exames e disse que não era nada grave'', desabafou a mãe no Facebook. Ela conta que, após muita insistência, a radiografia foi feita e a doença comprovada.

Quem gravou o vídeo e postou na rede foi outra usuária do Facebook, que replicou o desespero da mãe que lutava para salvar a filha. A mulher e a bebê teriam chegado às 19 horas e permanecido até a meia-noite.

Segundo os pacientes, bastante revoltados, os médicos estariam mexendo no celular enquanto a unidade estava lotada de pessoas.

''...recebem uma fortuna para não fazer nada'', disse a mãe na gravação. Um homem, não identificado, tomou as dores da paciente e também se revoltou com a situação no local.

''Bando de vagabundo, ladrão, deixando a criança morrer... 300 funcionários para atender a criança... [trecho indecifrável] enquanto nós somos humilhados'', gritou.

Muito revoltada, a mãe da criança voltou a criticar os médicos. ''Abram a porta, vem socorrer a criança. A criança 'tá' convulsionando'', alertou. Em outro grito de desespero, ela disse: ''vocês são pagos para quê? Seus filhos da pu%#''.

Vários pacientes entravam e saíam das salas destinadas ao atendimento. Nenhum funcionário do posto foi alcançado pela gravação, que tem quase um minuto de duração. Também não há registro da presença de nenhum guarda municipal na ocasião.

Questionada, a prefeitura de Campo Grande disse que a Secretaria Municipal de Saúde - Sesau - vai apurar se houve irregularidade no atendimento. Também foi informado que uma unidade volante será disponibilizada para atender UPAS e Centros Regionais de Saúde que tiverem com alta demanda. Ela será composta por profissionais de saúde que auxiliarão nos atendimentos nestas unidades.

''Nestes locais, houve um crescimento expressivo (41%)  na quantidade de pacientes pediátricos, se comparado os 4 primeiros meses de 2018, com o mesmo período do ano anterior. Nas UPAs/CRSs são atendidas mais de 4 mil pessoas diariamente e o aumento no fluxo de pacientes é uma preocupação constante da gestão, que tem buscado alternativas para atender a população'', informou a assessoria da prefeitura.