Menu
quarta, 28 de fevereiro de 2024 Campo Grande/MS
GOVERNO FEVEREIRO IPVA
Saúde

Crianças de 10 a 11 anos serão as primeiras a vacinar contra dengue

MS tem 78 cidades entre 521 escolhidas para vacina contra dengue, a 'Qdenga'

09 fevereiro 2024 - 09h38Por Felipe Dias

O Ministério da Saúde iniciou nesta quinta-feira (8) a distribuição das vacinas contra a dengue. O lote inicial será destinado à imunização de crianças de 10 a 11 anos.

A previsão é que 78 cidades de Mato Grosso do Sul, selecionadas para realizar a imunização, recebam as doses para vacinar essa faixa etária até a primeira quinzena de março. No Brasil, ao todo, são 521 municípios.

As cidades compõem um total de 37 regiões de saúde consideradas endêmicas para a doença. Esse conjunto de municípios escolhidos atende três critérios: são formados por municípios de grande porte (mais de 100 mil habitantes); registraram alta transmissão de dengue no período 2023-2024; e têm maior predominância do sorotipo DENV-2. 

Segundo o ministério, a vacinação irá avançar para outras idades assim que forem sendo entregues novas doses pelo fabricante da Qdenga, até alcançar todo o público-alvo de 10 a 14 anos. “O início da vacinação por essa faixa etária (10 a 11 anos) é uma estratégia que permite que mais municípios recebam as doses neste primeiro momento, diante do quantitativo limitado de vacinas disponibilizadas pelo laboratório fabricante. A escolha pelo início da imunização nas crianças de 10 a 11 anos também é baseada no maior índice de hospitalização por dengue dentro da faixa etária de 10 a 14 anos”, diz o ministério, em nota.

O primeiro lote tem 712 mil doses que irão atender 315 municípios em Goiás, na Bahia, no Acre, na Paraíba, no Rio Grande do Norte, em Mato Grosso do Sul, no Amazonas, em São Paulo, no Maranhão e no Distrito Federal. “Com o recebimento das 6,5 milhões de doses disponíveis pelo laboratório em 2024, o Ministério da Saúde garantirá a vacinação de todo o público-alvo, de 10 a 14 anos, nos municípios selecionados, ao longo dos próximos meses, de forma progressiva”, afirma ministério.