Reforma
(67) 99826-0686
IPVA

REFERÊNCIA: Governo traz equipe do Sírio-Libanês para recuperar Hospital Regional

Missão é transformar o hospital em um Sírio-Libanês de MS

13 MAR 2019
Rodson Willyams
11h10min
Secretário durante a visita dos técnicos do Hospital Sírio-Libanês. Foto: Reprodução / Edemir Rodrigues/Segov

O secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, recebeu, na manhã desta quarta-feira (13), no Hospital Regional Rosa Maria Aparecida Pedrossian, a equipe de técnicos do Hospital Sírio-Libanês, que tem unidades em São Paulo e Brasília, para iniciar a implantação do Proadi-SUS (Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS).

O objetivo do plano, batizado de LEAN, é transformar a unidade hospitalar em um centro de referência em Mato Grosso do Sul. O plano prevê a incorporação de novas tecnologias e custo zero.

Segundo Geraldo Resende, o Governo do Estado definiu uma nova estratégia para recuperar o hospital que, inclusive, conta com um Plano de Emergência para compra de insumos. "O Governo reconhece que o hospital enfrenta problemas e procurou ajuda com entidades como o Hospital Sírio-Libanês, que tem expertise. Nós queremos, depois, expandir para todo o complexo da saúde".

A reunião realizada na manhã de hoje vai ser o pontapé para que o projeto possa ser desenvolvido. Segundo a gerente do Projeto LEAN, Ana Carolina Brasil, o programa é destinado justamente para as emergências e existe desde 2017, implantado em 17 estados, num total de 32 hospitais.  

Conforme Resende, o projeto  vai contribuir para "evitar desperdícios" e garantir "o foco no paciente". 

O diretor do Hospital Regional Rosa Maria Aparecida Pedrossian, Marcio Eduardo de Souza Pereira, está confiante no plano que mantém o Sírio-Libanês, "mas isso ainda vai levar um tempo". Sem dar muitos detalhes, ele ainda afirmou que o decreto do Plano Emergência "já começou a dar resultados".

Por fim, ele informou que vai conversar com o município de Campo Grande, que é o gestor da saúde, para que a população possa entender o que é urgência, emergência e regulação. "Nós não fazemos nada sozinhos".

Reforma do HR

Geraldo Resende ainda informou que faz tratativas com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, para conseguir recursos para reformar todo o hospital. "Estamos conversando com ele para que a gente possa reformar o hospital do piso ao teto, além de ver a hidráulica e elétrica".

Segundo a assessoria de imprensa, o Hospital Regional realizou, em 2018, 65 mil consultas, sendo deste total 27 mil no pronto-socorro. 14,5 mil foram internações e 6,5 mil cirurgias. O custo total do hospital gira em torno de R$ 25 milhões, sendo 19 mil com custeio de pessoal.

Veja também