(67) 99826-0686
Reviva centro

Governo federal lança campanha para doação de órgãos

No primeiro semestre deste ano, o País bateu recorde com 1.438 doadores

19 SET 2016
Portal Brasil
14h57min
Foto: Divulgação

O Ministério da Saúde lançou neste sábado (17) a Campanha Nacional de Doação de Órgãos no Espaço Casa Brasil, no Rio de Janeiro (RJ). O objetivo da ação é estimular cada vez mais a população a ser doadora de órgãos e fazer com que o País alcance anualmente a meta de 14,4 doadores por milhão da população.

No primeiro semestre deste ano, o País bateu recorde com 1.438 doadores, 7,4% a mais que o mesmo período em 2015. A divulgação marca o mês de comemoração do Dia Nacional da Doação de Órgãos, comemorado em 27 de setembro.

Exposição

Na Casa Brasil, fica em cartaz até este domingo a exposição ‘Gesto de Herói – o poder de doar vida’. No local estão expostos painéis explicativos que esclarecem mitos e verdades sobre o tema. O estande também exibe depoimentos em vídeos, onde é possível conhecer a história de famílias de doadores e receptores, compartilhando as experiências de como o transplante proporcionou uma nova chance de continuar a levar uma vida saudável e cheia de vitórias. O projeto percorrerá ainda os estados de Goiás e Mato Grosso do Sul, com entrada gratuita.

Balanço

As doações de órgãos possibilitaram a realização de 12.091 transplantes entre janeiro e julho deste ano.  As operações de órgãos mais complexos, como pulmão, fígado e coração, registraram aumento de 31% em relação ao mesmo período do ano passado.

O Brasil é referência mundial em transplantes. Em 2015, foram realizadas 23.666 cirurgias; 1.164 órgãos e 2.409 tecidos foram transportados. Houve ainda 110 órgãos e 219 tecidos transferidos por meio de voos fretados e transportes terrestres em parceria com as Centrais Estaduais de Transplantes.

Apoio da FAB

No evento do Ministério da Saúde, coordenadora-geral do Sistema Nacional de Transplante (SNT), Rosana Reis, apresentou o balanço sobre o número de órgãos transportados de junho a setembro deste ano pela Força Aérea Brasileira (FAB). Foram 28 corações, 21 fígados, 3 pulmões, 5 pâncreas, 4 rins, totalizando 61 órgãos. A coordenadora ressaltou ainda, a importância da atuação da FAB nesse cenário.

“O papel da FAB é fundamental em nosso trabalho. Quando temos órgãos com tempo de isquemia menor, como é caso de um coração, é sempre preocupante, pois precisamos agir rápido. Saber que podemos contar com a FAB disponibilizando em solo suas aeronaves nos traz ainda mais certeza que podemos salvar mais vidas”.

A região centro-sul do Brasil concentrou cerca de 70% das missões de transporte de órgãos realizadas pela FAB nos últimos três meses. Nesse período, a bordo de aviões militares, 61 órgãos foram transportados. Na última terça-feira (13) foi realizada a 51ª missão. Um fígado foi transportado de Campo Grande (MS) com destino ao Rio de Janeiro. De acordo com a Central Nacional de Transplantes (CNT), a receptora do órgão é uma jovem de 19 anos. O caso recebeu priorização máxima da Central Estadual de Transplantes do Rio de Janeiro por ser considerado grave.

O secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Francisco de Assis Figueiredo, destacou que, com o apoio da FAB, o número de órgãos transportados aumentou consideravelmente. “Com o apoio da FAB nós otimizamos ainda mais o atendimento a aqueles que precisam de um transplante. A parceria da FAB com o Ministério da Saúde traz mais esperança pra quem precisa”.

Além da FAB, há ainda a parceria com as companhias aéreas brasileiras para transporte de órgãos voltados a transplantes. Os voos com órgãos e equipes médicas têm prioridade de decolagem e pouso. A coordenação é realizada pelo Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), no Rio de Janeiro.

Veja também