Menu
Busca domingo, 05 de julho de 2020
MS DIGITAL - COMPET
Saúde

Ministro da Saúde anuncia repasse de R$ 1 bilhão para UPAs e Santas Casas

14 setembro 2016 - 15h39Por Folha

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, afirmou nesta quarta-feira (14) que a pasta conseguiu economizar, em quatro meses, R$ 1 bilhão. Essa quantia será investida no custeio de 99 UPAs (unidades de pronto atendimento), na oferta de 1.401 novos serviços em Santas Casas e hospitais filantrópicos, e na ampliação de medicamentos.

Esse montante, segundo o ministro, foi conquistado a partir da redução dos custos de contratos, de serviços gerais –como alugueis e contas de telefone–, dos preços dos medicamentos, além da extinção de cargos da própria pasta. Ao todo, 417 cargos, sendo 335 de livre nomeação foram extintos.

Barros explicou que a prioridade, a partir de agora, será modernizar o atendimento à população, com novas tecnologias que vão trazer benefícios aos pacientes. "Os sistemas de informação do SUS [Sistema Único de Saúde] é nossa grande prioridade para melhorar o atendimento e reduzir custos."

O anúncio da liberação de recursos foi feito pelo ministro da Saúde acompanhado do presidente, Michel Temer, e do presidente da Confederação das Santas Casas e Hospitais e Entidades Filantrópicas, Edson Rogatti.

"Hoje, por força do governo e das medidas adotadas, as Santas Casas estão se transformando em Santas Casas novamente. A gestão eficiente dos recursos leva à excelência no atendimento de saúde. É o que queremos ao longo do tempo para o Brasil. Esse é nosso compromisso: assegurar mais recursos a serem aplicados numa gestão mais eficiente da saúde", afirmou Temer.

Em relação às contas do ministério, Barro afirmou que elas estão em dia e que será possível executar todos os compromissos financeiros deste ano, já que o governo recompôs R$ 6,3 bilhões do Ministério da Saúde que haviam sido contingenciados.

"Estamos fazendo mais com menos recursos", reforçou Barros, ao detalhar que a estratégia do governo consiste em reduzir o tamanho da máquina, desaparelhar o ministério e aumentar a eficiência por meio da implantação de sistemas mais avançados.

Recursos

O ministro Ricardo Barros afirmou que as UPAs vão receber repasses de R$ 182 milhões por ano a partir de outubro. Com isso, todas as unidades que funcionavam sem a contrapartida do ministério passam a receber valores mensais. As portarias para o custeio das UPAs serão publicadas nas próximas semanas.

Já para o financiamento dos 1.401 novos serviços em Santas Casas e instituições filantrópicas, a pasta vai destinar R$ 371 milhões ao ano –a expectativa é que o dinheiro seja liberado até dezembro. Segundo o ministério, 216 hospitais devem ser beneficiados.

A pasta também informou que R$ 227 milhões serão destinados à produção da vacina meningocócica e compra de medicamentos –7,4 milhões de unidades no SUS (Sistema Único de Saúde).

O presidente da Confederação das Santas Casas e Hospitais e Entidades Filantrópicas, Edson Rogatti, lembrou que o país regista mais de 2.100 hospitais filantrópicos e que o setor responde por mais de 50% do atendimento via SUS, sobretudo de internações de média e alta complexidade, transplantes e tratamentos oncológicos.

"Há muito tempo, esperamos ser ouvidos", disse. "Foram anunciadas hoje várias medidas para o setor filantrópico, coisa que a gente não via nunca" completou, ao destacar que os repasses darão mais fôlego às santas casas e entidades filantrópicas. 

Leia Também

Após ciclone bomba ameaçar MS, outro fenômeno chega no SUl do país
Geral
Após ciclone bomba ameaçar MS, outro fenômeno chega no SUl do país
Antes de perder batalha contra covid-19, Maria gravou vídeo e pediu que família se cuidasse
Algo mais
Antes de perder batalha contra covid-19, Maria gravou vídeo e pediu que família se cuidasse
Após ser infectado e curado da covid-19, Alex propõe reflexão sobre cuidados contra doença
Algo mais
Após ser infectado e curado da covid-19, Alex propõe reflexão sobre cuidados contra doença
'Um amigo, um conselheiro', diz Délia sobre secretário assassinado em Dourados
In Memoriam
'Um amigo, um conselheiro', diz Délia sobre secretário assassinado em Dourados