(67) 99826-0686
ALMS 13/06 a 12/07

Prefeitura nega corte de plantões médicos e anuncia que vai instaurar sindicância

Em nota, prefeitura alega que CI divulgada solicita apenas estudo para reduções de gastos

26 OUT 2016
Diana Christie
15h24min
Foto: Geovanni Gomes

Em nota, a prefeitura de Campo Grande negou a existência de ordem para reduzir gastos com médicos, enfermeiros, técnicos e administrativos, que poderia resultar no corte de plantões nos postos de saúde. “Ao contrário do noticiado, nenhuma ordem de corte ou redução de profissionais da saúde foi determinada pelo Prefeito Municipal, Sr. Alcides Jesus Peralta Bernal, ou pelo Secretário Municipal de Saúde, Sr. Ivandro Correa Fonseca”, diz.

Segundo o município, a CI (Comunicação Interna) divulgada trata-se apenas de determinação para início dos estudos de eventual enxugamento para respeitar a Lei de Responsabilidade Fiscal. “O teor da Comunicação Interna (C.I), ora divulgada, apesar de ser documento de ordem interna e divulgada sem nenhuma ordem ou autorização da gestão, visa previamente, o estudo e posterior proposta de readequação, as quais ainda serão avaliadas pela gestão”.

CI divulgada - Foto: Repórter Top

De acordo com a nota, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) encaminhou o documento para a Semad (Secretaria Municipal de Administração), pois adequações podem ser necessárias para atender a Lei Complementar n. 101/2000, “tendo em vista o Período Eleitoral que veda o aumento de gastos com pessoal nos últimos 180 dias do final do mandado” do prefeito Alcides Bernal, candidato derrotado no primeiro turno.

A prefeitura ainda classifica as informações como “inverídicas”, mas destaca que, “caso sejam necessárias adequações, os serviços não serão prejudicados. Desta forma, a Prefeitura Municipal de Campo Grande reafirma seu compromisso com a saúde e a população campo-grandense”. Também informa que será instaurado um processo de Sindicância com objetivo de “reestabelecer a verdade” e avaliar “todas as providências judiciais cabíveis”.

Veja também