ENTREGAS
Solurbe - corrida do meio ambiente 18/04 a 08/05
(67) 99826-0686
ENTREGAS

De olho em 2017, Fla avalia reforços e vê dificuldade em manter Alan Patrick

Sem direitos econômicos fixados, meia do Shakthar demandaria alto investimento. Com dois títulos em disputa, diretoria não comenta. Camilo, do Botafogo, agrada

27 SET 2016
Globo Esporte
08h05min
Foto: Gilvan de Souza

A briga ponto a ponto pela liderança e título do Campeonato Brasileiro não inibe o olhar rubro-negro para o mercado da bola. Perto da vaga na Libertadores, a diretoria já avalia nomes de reforços pensando na temporada de 2017. Em silêncio para manter o foco absoluto na disputa do Brasileiro e também da Sul-Americana, o Rubro-Negro não está lá muito otimista com as chances de permanecer com Alan Patrick. Um dos principais nomes do time no ano, ele tem contrato com o Shakthar Donetsk até junho de 2017, mas está emprestado ao Flamengo desde o meio do ano passado sem direitos econômicos fixados.

O Flamengo tem na posição três jogadores com contratos longos: Diego, Mancuello e Ederson. Na base, tem duas promessas, Lucas Paquetá e Matheus Sávio. A contratação em definitivo de Alan Patrick demandaria alto investimento, avaliam os dirigentes rubro-negros, que já comprometeram cerca de R$ 35 milhões em reforços neste ano - com parcelas a serem pagas pelos próximos anos, nos casos de Mancuello, Cuéllar, Donatti, entre outros.

O clube não comenta as movimentações do mercado, mas já pensa no retorno à Libertadores - competição que não disputa desde 2014, quando terminou eliminado na primeira fase.

- O planejamento vai acontecer de forma silenciosa como sempre fazemos - limitou-se a dizer o diretor de futebol Rodrigo Caetano.

Nome de Camilo agrada

Um dos nomes comentados na Gávea e que agrada a diretoria é do meia Camilo, do Botafogo. Ele tem contrato com o clube alvinegro até maio de 2018 e multa rescisória acima de R$ 10 milhões para clubes brasileiros. Destaque na arrancada do Botafogo, o jogador também chamou a atenção do Atlético-MG. Meia de 30 anos, Camilo começou no RS Futebol Clube, onde o diretor de futebol Rodrigo Caetano também iniciou sua trajetória como executivo. Caetano, por sua vez, negou qualquer movimentação para contratar o alvinegro. Em General Severiano, a diretoria do Botafogo, precavida inclusive com o caso William Arão, que saiu de graça para o Flamengo, se movimenta para estender o contrato de Camilo, reajustar multas e salários do jogador.

Com elenco grande, o Flamengo deve ter algumas mudanças para o ano que vem. Em fim de contrato e pouco utilizado no ano, Sheik dificilmente segue no clube. O assédio crescente sobre Jorge também liga alerta no clube. Fora o titular, o clube hoje só tem Chiquinho para atuar no setor - e o contrato dele termina no fim do ano.

 

Veja também