(67) 99826-0686
Dengue FEV

Fifa multa CBF por gritos homofóbicos de torcedores em Brasil x Colômbia

Entidade anuncia punição a 11 federações por conduta discriminatória ou antidesportiva

4 OUT 2016
Redação
10h35min
Foto: Divulgação

O mau comportamento de torcedores no duelo entre Brasil e Colômbia, no dia 6 de setembro, rendeu uma punição à CBF. A Fifa anunciou nesta terça-feira sanções a 11 federações por conta de manifestações discriminatórias ou antidesportivas de fãs em partidas pelas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018. A confederação brasileira terá que pagar multa de 20 mil francos suíços (R$ 71,7 mil) por gritos homofóbicos da torcida no confronto contra os colombianos, na Arena da Amazônia, em Manaus.

As outras federações punidas por causa do comportamento de torcedores foram Argentina, Chile, Paraguai, Peru, El Salvador, México, Canadá, Itália e Albânia. A CBF também recebeu outra multa, de 3 mil francos suíços (R$ 10,7 mil), por conta do atraso no reinício do jogo contra o Equador, no dia 1º de setembro.

A punição mais pesada foi para o Chile, reincidente em manifestações homofóbicas da torcida. Já sancionada pela Fifa anteriormente, a seleção não poderá disputar o duelo contra a Venezuela, no dia 28 de março de 2017, no Estádio Nacional de Santiago, sua casa tradicional. Além disso, terá que pagar multa de 65 mil francos suíços (R$ 233 mil).

- Todos estes procedimentos têm relação com torcedores que mostraram uma conduta discriminatória ou antidesportiva, chegando inclusive a entoar cantos homofóbicos em alguns casos. A Comissão Disciplinar da Fifa emitiu seus vereditos depois de analisar as circunstâncias específicas de cada expediente, em particular, as súmulas dos árbitros, a postura da federação e o relatório do observador antidiscriminação do jogo e das provas disponíveis. Em alguns casos, também foram levados em conta certos atenuantes, como os esforços das federações para conscientizar os espectadores e lutar contra a discriminação - diz o comunicado emitido pela Fifa.

As punições fazem parte da política da Fifa de tentar banir dos estádios qualquer manifestação de discriminação e que vá contra o esporte. A entidade desenvolveu um sistema para vigiar o comportamento dos torcedores nas partidas das eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018 - observadores são designados a acompanhar cada partida e informar sobre casos de preconceito.

Veja também