(67) 99826-0686
REFIS FEV.

Recorde e festa: Brasil leva multidão a estádio de futebol e derrota Portugal

Campeões olímpicos atraem quase 40 mil pessoas à Arena da Baixada, casa do Atlético-PR, e vencem com facilidade

4 SET 2016
Globo Esporte
08h49min
Foto: Estadão Conteúdo

Ao subir a escada rumo à quadra montada na Arena da Baixada, cada jogador parecia não saber para onde olhar. Acostumados a ginásios mais modestos, se impressionavam. O palco montado para a festa era perfeito. Diante de mais de 35 mil pessoas, o resultado nem importava tanto, mas os campeões olímpicos não decepcionaram. Em uma tarde de festa em Curitiba, o Brasil bateu Portugal por 3 sets a 0 - parciais 25/17, 25/13 e 25/16.

O jogo deste sábado estabeleceu o maior público da arena no ano. No total, foram 33.730 ingressos vendidos, com um público presente próximo a 40 mil pessoas. Antes, o Atlético-PR havia levado 33.270 pagantes para assistir ao jogo contra o Criciúma, pela Primeira Liga, em fevereiro.

Em uma partida amistosa, a seleção fez sua parte no espetáculo. Durante todo o jogo, os campeões olímpicos brincaram com a torcida. Atleta da casa, Lipe chegou a arriscar um saque jornada nas estrelas no segundo set. Serginho, às vésperas de sua despedida da seleção, foi um dos mais aplaudidos pelo público. Os portugueses, longe da elite mundial (ocupam a 26 colocação no ranking da FIVB), pareceram aceitar o papel de coadjuvante em uma grande festa pela conquista brasileira nos Jogos do Rio.

As duas seleções farão novo amistoso neste domingo. Desta vez, o palco será o Mané Garrincha, em Brasília, às 10h. Mais uma vez, expectativa de casa cheia na capital federal.

BRINCADEIRAS, FESTA E VITÓRIA

A forte chuva que caía do lado de fora servia para lembrar aquela terça-feira de 33 anos atrás. O teto retrátil da Arena da Baixada, porém, prometia impedir a queda da água e evitar a repetição da cena de atletas secando o chão com as próprias toalhas, como na partida histórica contra a União Soviética no Maracanã. No entanto, algumas goteiras insistiam em cair e causavam preocupação aos jogadores. O chão molhado não foi o único problema no início da partida. Sem ritmo, a seleção, que tinha Douglas no lugar de Lucarelli, viu Portugal levar o amistoso a sério demais.

Os portugueses chegaram a dominar o início da parcial, enquanto os brasileiros insistiam em erros, principalmente no saque. Mas a situação não demorou a mudar. O Brasil logo tomou a dianteira, abriu boa vantagem fechou o set em 25/17, em ponto de Douglas.

 

O jogo, na verdade, não importava tanto. A torcida sabia que, sem o ritmo ideal, a seleção não teria uma atuação tão boa. Por causa disso, se empolgava a cada jogada diferente. Um dos astros do dia, Serginho levantou as arquibancadas ao realizar uma defesa que parecia impossível. Lipe, em uma cravada sensacional, e Bruninho, em uma deixadinha certeira, também arrancaram aplausos da torcida.

Era uma festa, e os jogadores sabiam disso. Lipe brincou com a torcida ao simular um jornada nas estrelas, saque imortalizado por Bernard na década de 1980. Na parada técnica, Bernardinho sequer se preocupou em orientar o time. A vantagem no placar era grande, e o caminho foi ainda mais tranquilo até o fim. Com a vitória garantida, Lipe saiu da brincadeira e fez a torcida explodir ao fazer o saque jornada. Na sequência, fim da parcial: 25/13.

O ritmo no último set foi o mesmo. Portugal até tentou endurecer o jogo, mas não conseguiu fazer frente aos campeões olímpicos. Com muita facilidade, a seleção deu números finais à festa: 25/16.

 

Veja também