(67) 99826-0686
PMCG Janeiro

Em meio à ameaça de privatizações, Sindicato dos Bancários passa por eleições em MS

Presidente destaca que as chapas que querem concorrer ao pleito têm 15 dias para se inscrever

8 JAN 2019
Dany Nascimento
17h00min
Foto: Dany Nascimento

Com sensação de missão cumprida, o presidente do Sindicato dos Bancários de Campo Grande MS e Região, Edvaldo Barros, se despede do mandato e anuncia a abertura do processo eleitoral. De acordo com o presidente, as chapas que querem concorrer ao pleito devem ficar atentas às inscrições que serão realizadas até o dia 21 de janeiro de 2019.

De acordo com Edvaldo, as eleições serão realizadas nos dias 12 e 13 de fevereiro em 27 municípios. “O processo será conduzido pelo membro do Conselho Deliberativo, Orlando de Almeida Filho, que foi eleito pela maioria durante reunião do Conselho. A reunião foi realizada no dia 3 de janeiro. Além dele, a comissão eleitoral será composta por um membro de cada chapa inscrita. As inscrições serão realizadas até dia 21 de janeiro, às 18 horas”, explica o presidente.

Conforme o presidente, as chapas terão prazo de 15 dias para se inscrever. “As informações sobre o registro das chapas estão entre os artigos 81 e 88 do Estatuto do Sindicato. Como já foi feito nas duas eleições passadas, respeitando o estatuto, as eleições são realizadas agora em fevereiro e a posse dos eleitos será no dia 1º de julho”.

A chapa vencedora fica no poder por 4 anos, administrando o Sindicado de 2019 até 2023. Edvaldo ressalta que enfrentou momentos difíceis como presidente, mas que deixa a presidência com a consciência de dever cumprido e espera que o próximo presidente dê continuidade ao trabalho executado.

“Aqui atuamos participando de todos os movimentos em defesa dos trabalhadores, conseguimos embora com a reforma trabalhista manter todos os nossos direitos conquistados, que estavam ameaçados a partir da aprovação da reforma trabalhista. O momento foi bastante difícil, o país enfrenta crise política, econômica e que bancários conseguiram manter seus direitos”, diz o presidente.

Ele afirma que está preocupado com as ameaças de privatização dos bancos públicos. “A organização dos trabalhadores precisa estar fortalecida porque os bancários enfrentam as ameaças de privatização dos bancos públicos, embora o governo não assuma, mas percebemos que alguns setores eles estão privatizando. Então é uma preocupação muito grande, além das novas tecnologias, temos hoje bancos digitais e os bancos de rede estão priorizando a questão digital, é ameaça muito grande. Nesses anos tivemos dificuldades, acho que a garantia dos direitos é uma marca da gestão. No próximo período precisamos estar organizados, é importante manter essa experiência”.

Barros destaca ainda que o Sindicato é reconhecido nacionalmente pelo trabalho desempenhado. “Nosso sindicato está inserido nacionalmente hoje, coisa que não acontecia no passado. Hoje ele tem respeito, representatividade nacional. Junto com Curitiba, Rio de Janeiro, São Paulo, Recife, são sindicatos grandes com atuação muito forte”.

Clique aqui e leia o edital completo do Sindicato

Veja também