re9
lalu kids
(67) 99826-0686

'Jovens precisam dos princípios dos pais, caso contrário, é delegacia ou necrotério', diz promotor

O promotor Sérgio Harfouche faz um alerta para os pais e destaca a importância da educação dentro de casa

10 OUT 2016
Anna Gomes
16h44min
Foto: Geovanni Gomes/Arquivo

O promotor da infância e juventude, Sérgio Harfouche, faz um alerta aos pais por causa dos números alarmantes de adolescentes que consomem bebidas alcoólicas. Campo Grande está no topo da cadeia de consumo. Conforme a última pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), realizada em 2015, a maioria dos estudantes do 9º ano em escolas públicas e privadas, entre 13 e 15 anos, possui o hábito de consumir livremente bebidas que contém álcool.

"Se os pais não cuidarem dos filhos, não passarem valores dentro de suas casas, fatalmente no futuro, esses jovens vão estar envolvidos em infrações com a polícia, ou vão estar em cemitérios", ressaltou o promotor.

Ainda conforme Harfouche, no mapa da violência, o Brasil é o quarto país que mais mata jovens em todo o mundo. "Não quero afrontar os pais, muito pelo contrário, quero um grande movimento em Campo Grande, para tentar reverter o quadro, mas para isso, a ajuda da família é fundamental", explica.

Segundo a última pesquisa do IBGE, em todo o Brasil, o percentual de jovens que já experimentou bebidas alcoólicas subiu de 50,3%, em 2012, para 55,5% em 2015; já a taxa dos que usaram drogas ilícitas aumentou de 7,3% para 9% no mesmo período. Também subiu o número dos que relataram a prática de sexo sem preservativos, de 24,7% para 33,8%.

"Os pais precisam oferecer princípios, um exemplo é uma formatura do ensino médio, onde teoricamente é proibido oferecer bebidas alcoólicas, mas o que percebo é que normalmente a própria família leva essas bebidas para as festas e os jovens também acabam consumindo. Falo dos pais, pois não acredito mais em sistema nenhum, são eles que precisam acordar para isso e futuramente não precisarem ir buscar os filhos na delegacia, ou reconhecer os corpos em um necrotério", alertou.

O promotor também reclama da demora para a Assembleia Legislativa aprovar o projeto de Lei 219/2015. A proposta visa realizar a preservação do ambiente escolar, que inclui a reparação de danos causados pelos alunos como pichações e outros tipos de vandalismo.

"Se você suja, você limpa. Se você quebra, você conserta. Se você ofende, você se retrata. Dentro do ambiente escolar, isso deve ser visto com muito cuidado, não pode ficar mandando para delegacia esse tipo de coisa”, afirma.

Na noite de Campo Grande não é difícil encontrar menores de idade consumindo bebidas alcoólicas e acabarem se envolvendo em fatores ruins. Um exemplo é posto de combustível localizado na Avenida Duque de Caxias, no Bairro Santo Antônio. Testemunhas relatam que, no local, os adolescentes fazem o consumo das bebidas livremente, alguns ficam bebendo no estabelecimento até o dia raiar.

Por volta das 5h30 do último sábado (8), um tiroteio no posto de combustível deixou ferida uma adolescente de 17 anos. Ela estava com alguns amigos no local, quando dois homens chegaram em um veículo Honda Civic, realizando diversos disparos de arma de fogo.

Ao todo, o tiroteio fez quatro vítimas, sendo uma fatal e três ficaram feridas, a adolescente estava entre os feridos. O caso é só mais um envolvendo menores de idade.

Veja também