Menu
Busca sexta, 13 de dezembro de 2019
Algo mais

Está esgotado e cansado? Pode ser a Síndrome de Burnout, doença que mais cresce no Brasil!

Atire a primeira pedra quem não pensou em surtar em alguns momentos neste 2019

01 dezembro 2019 - 09h30Por Nathalia Pelzl

O ano está terminando e muitas pessoas vão poder dizer: que ano, meus amigos. Atire a primeira pedra quem não pensou em ‘surtar’ em alguns momentos.  Muitas tragédias, País em crise, muito trabalho. Especialistas destacam que a correria tem contribuído para que as pessoas fiquem doentes, física e mentalmente.

“Mergulhar de cabeça” no trabalho pode não ser a solução, já que isso pode desencadear a Síndrome de Burnout, que significa “esgotamento profissional”. A psicóloga, Giuliana Elisa, comenta sobre a síndrome.

“É um pavio que vai queimando, a pessoa vai pouco a pouco perdendo as forças, o ânimo. Quando a pessoa vai para casa e fala que se sente sugada, sem energia, deixa de ser proativa. E tudo vai perdendo o encantamento”.

A especialista lembra que é preciso entender a diferença entre a doença e apenas o cansaço do dia a dia. “As pessoas confundem, pois a princípio eles são parecidos, no entanto, existem três pilares que diferenciam a síndrome do estresse”.

São eles, de acordo com a especialista, falta de energia e fôlego todos os dias, a despersonalização, que ocasiona a perda de identidade e frieza.

“A pessoa fica alheia, nada importa mais. As pessoas que tem essa síndrome geralmente são as que eram mais apaixonadas pelo que faziam”.

Dados divulgados pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), referentes ao ano de 2017, apontam que muitos trabalhadores têm sido afastados por transtornos mentais e comportamentais. Episódios de depressão, por exemplo, foram responsáveis por 43,3 mil auxílios-doença em 2017, sendo esta a 10ª doença com mais afastamentos.

Os profissionais das áreas de Saúde e Segurança, professores, jornalistas, agentes penitenciários e motoristas, por exemplo, são os mais afetados segundo Giuliana.

A orientação é administrar o tempo e buscar auxílio. “Tem que otimizar o tempo, o corpo apresenta dores de cabeça, insônia, instabilidade de humor com frequência, então, tem uma série de detalhes que precisam ser observados.