TCE MAIO
TJMS MAIO
Menu
terça, 24 de maio de 2022 Campo Grande/MS
CÂMARA MUNICIPAL MAIO 2/3 ANO
Campo Grande

Um dos mais antigos de Campo Grande, bairro Amambaí é desvalorizado pela insegurança

O bairro, que engloba a antiga Rodoviária, tem comércio ativo de drogas na região; trânsito também é criticado no local

23 setembro 2018 - 09h30Por Dany Nascimento

Um bairro que antes era conhecido pela grande movimentação de pessoas, já que era sede da Rodoviária de Campo Grande, hoje se tornou o ponto de encontro de usuários de drogas e gera prejuízos aos comerciantes que permanecem no local. A população destaca que o bairro Amambai ficou desvalorizado após a desativação da rodoviária e possui grande aglomeração de traficantes e usuários de drogas.

Paulo Francisco dos Santos, 43 anos, que possui oficina mecânica na região, afirma que o ponto é bom, mas perdeu seu valor. “Aqui é um local bom, mas a prefeitura tinha que dar um jeito nos usuários, oferecer ajuda de alguma forma para que eles deixem o nosso bairro e consigam se recuperar, se livrar desse vício maldito”.

O mecânico diz que já presenciou os usuários comercializando drogas na frente da guarda municipal. “Os guardas ficam lá, mas eles passam drogas na frente deles, acendem e ninguém faz nada. Eu já vi isso, fiquei decepcionado. Se os guardas cuidam do patrimônio, eles podem acionar a polícia para dar um jeito nesse comércio de drogas que tem aqui, mas não fazem isso”.

Assim como Paulo, Samia de Araújo, 60 anos, que possui comércio há dez anos na Rua Dom Aquino, afirma que o local piorou com a presença de usuários, mas destaca também que a falta de sinalização no cruzamento da Rua Dom Aquino com a Rua Mirante Barroso gera acidentes diariamente.

“Eu estou vendo a hora em que teremos uma tragédia aqui, vai morrer gente nesse cruzamento, já tivemos pessoas gravemente feridas porque as pessoas não respeitam ou se confundem ao chegar aqui no cruzamento. Tem acidente todo dia praticamente. Mais para baixo, morreu uma menina há alguns anos, ela estava de motocicleta, depois da morte dela, a prefeitura colocou semáforo, espero que aqui não tenha que acontecer isso para ser instalado”, diz a comerciante.

Samia explica que já entrou em contato com a prefeitura para fazer a solicitação, mas foi informada que não existe grande fluxo de veículos na região. “É só olhar, aqui tem muitos veículos a cada minuto, precisamos com urgência, antes que morra alguém aqui. Motociclistas já se despedaçaram aqui, já perderam perna, braço, não queremos isso, queremos segurança para quem trafega no trânsito da cidade”.

Prefeitura

O TopMídiaNews entrou em contato com a prefeitura, que afirma que uma pesquisa será realizada no local para avaliar a possibilidade de instalação de semáforos. “Será feita pesquisa de tráfego no cruzamentos das Ruas Dom Aquino com Almirante Barroso. A população pode fazer as solicitações através de ofícios protocolados na Agetran ou ligar nos números 118 e 156”.  

Sobre o problema com usuários de drogas, nenhuma resposta foi encaminhada.