TCE Novembro
Menu
domingo, 05 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
pmcg revia negocios
Campo Grande

Em 'batida', vereadores encontram prédio público desabando na Vila Nasser

11 maio 2016 - 13h04Por Rodson Willyams

Mato alto, alagamentos, problemas estruturais e infiltração predial com risco de desabamento. Esses foram alguns dos problemas encontrados pelos vereadores durante a Câmara Comunitária, realizada nesta quarta-feira (11), na região da Vila Nasser e Bairro Coophasul, em Campo Grande.

Segundo o presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, vereador João Rocha, do PSDB, a cada visita realizada nos bairros, é 'uma surpresa'. "Eu sempre me surpreendo quando vou aos bairros. É um abandono, um descaso com os prédios, com os equipamentos públicos, principalmente nos locais sociais, que atendem as nossas crianças e idosos, isso é lamentável para a nossa cidade".

Durante a visita, foi identificada, por exemplo, a situação do Centro de Referência de Assistência Social, do Vila Nasser, localizado na rua Januário Barbosa, 366. Neste local, somente os serviços administrativos estão funcionando e as demais atividades destinadas ao público foram suspensas pela prefeitura. O prédio corre risco de desabar. 

Prédio com infiltração. Foto: Rodson Willyams. 

 

O local foi parcialmente interditado pelo Corpo de Bombeiros, uma vez que apresenta infiltração no teto e, devido às chuvas, tem goteiras espalhadas.

"Esse prédio está correndo o risco de cair, ele já foi interditado pelos Bombeiros e vemos que isso é um absurdo. Por outro lado, a gente percebe os esforços que a diretora faz para manter algumas atividades neste local. Parte dos serviços foram suspensos devido ao risco. Porém, a situação é triste".

A parte em que estão os cilindros de gás e que atende a padaria foi interditado. Foto: Rodson Willyams. 

 

Escola

Os vereadores ainda estiveram na Escola Municipal Licurgo Oliveira, no bairro Coophasul, localizada na Rua Antônio Moraes Ribeiro. A escola possui uma avançada estrutura, em relação as demais unidades da prefeitura, porém a falta de manutenção deixa a unidade em estado crítico. Além disso, a instituição tem tradição no esporte e alunos devem representar a Capital em setembro, em João Pessoa (PB), durante os jogos estudantis. 

A diretora, Soraia Inácio, apesar de afirmar aos parlamentares que o prefeito Alcides Bernal, do PP, garantiu que a unidade escolar será a primeira a passar por reformas, a escola enfrenta alguns problemas pontuais.

"Nós percebemos que no caso da escola, ela enfrenta problemas de infiltração, isso afeta a parte elétrica que em algumas salas foi possível ver, que não há luz. Tem o problema do mato alto, e da piscina que falta manutenção, eles mantêm a limpeza, mas precisam de um aparelho que custa R$ 5 mil. Fora isso, ainda há o problema com o mato alto em outras regiões. Ou seja, há um esforço dessas diretoras que se esforçam para manter as atividades", disse Rocha.

Mato alto dentro da escola. Foto: Rodson Willyams.

Os parlamentares ainda fizeram 'batidas' em ruas dos bairros que estão intransitáveis, obras paradas  e nos postos de saúde da região. Além do presidente da Câmara, estiveram os vereadores Ayrton Araújo, do PT; Chiquinho Telles, do PSD e Waldeci Chocolate, do PTB.

   Piscina que precisa de um aparelho que custa R$ 5 mil para manter a limpeza. Foto: Rodson Willyams.