TJMS JANEIRO
Menu
quinta, 20 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Campo Grande

Jovem diz que foi agredida no CCZ ao pegar cachorra; funcionário rebate

Mulher relatou episódio nas redes sociais, enquanto funcionário apresentou outra versão registrando boletim de ocorrência

05 setembro 2021 - 13h30Por Vinicius Costa

Uma jovem de 24 anos usou as redes sociais para condenar a atitude de um funcionário, de 46 anos, do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), em Campo Grande. A mulher foi até o local pegar sua cachorrinha, que fugiu de casa e foi recolhida, entregue ao órgão, mas diz que sofreu 'agressões' e um atendimento estúpido.

No grupo Aonde Não Ir em Campo Grande, ela relata que chegou em casa e percebeu que uma de suas cachorras fugiu. Na explicação, a moça contou que um vizinho achou e como não sabia de quem poderia ser, entregou para o CCZ.

Quando chegou ao local, a menina alega que o funcionário era bruto, estúpido e grosso, mesmo as outras pessoas sendo gentis. Como protocolo, a mulher foi autorizada a ir até o canil reconhecer a cachorra e, quando encontrou, foi abrir a cela para pega-lá, mas foi impedida pelo homem.

"O funcionário me deu um empurrão muito forte no peito e me agarrou pelos braços muito forte e começou a me jogar para fora gritando que eu não podia pegar, que não ia levar-lá", relata a jovem.

A jovem afirma que 'retribuiu' as agressões feitas e que, no susto, arranhou o funcionário. Após todo o episódio e conversa com a veterinária do CCZ, a menina teve a autorização para levar de volta sua cachorrinha.

Outro lado

O funcionário registrou um boletim de ocorrência na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento) Centro, onde explicou que a mulher chegou alterada no CCZ e queria levar a sua cachorra de qualquer maneira.

Ainda na sua versão, o homem disse que se colocou a frente da jovem para impedir que ela abrisse a porta do canil, assim, agredido pela mulher com socos e arranhões no rosto, onde marcas das lesões teriam ficados no lado direito do rosto e do pescoço.

O funcionário decidiu levar o caso até seu superior, que acalmou os ânimos e pegou todas as informações da mulher para que ela levasse a cadela de volta.