Menu
segunda, 17 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Campo Grande

Movimento pede redução de salários de vereadores na Capital

13 setembro 2015 - 15h32Por Dany Nascimento

Com objetivo de reduzir o salário dos vereadores de Campo Grande, um movimento para colher assinaturas está sendo realizado na tarde de hoje (13), na Praça do Rádio Clube Campos. O movimento convocou a população através das redes sociais para comparecer ao local e assinar algumas fichas solicitando que o salário dos vereadores, que atualmente corresponde a R$ 15.031,00, seja baseado de acordo com o grau de escolaridade, presença nas sessões e projetos apresentados por cada parlamentar na Casa de Leis.

Uma faixa esclarece à população que o salário atual dos vereadores terá um reajuste ano de 2017 e passará a ser de R$ 20 mil, já que os vereadores aprovaram em dezembro do ano passado, o projeto de reajuste.  De acordo com Dênis Pereira da Silva, que trouxe o movimento para a Capital, a luta é para que 90% dos vereadores que possuem nível médio passem a receber de R$ 1.500,00 a 2.500,00 e 78% que possuem ensino superior, recebam de R$ 3.300,00 a 5.300,00, levando em consideração a exigência que o mercado de trabalho faz à população ao oferecer uma vaga de emprego.

Dênis afirma que com a redução, a Câmara terá uma economia de R$ 420 mil, que devem ser destinados para a saúde e educação. "Eu trouxe o movimento para a Capital porque outros 126 municípios deram as mãos pela mesma causa. Vivemos um momento de crise financeira e chegou a hora de cortar gastos. Queremos que esse dinheiro seja direcionado para a Capital, que está necessitando de recursos. Alguns vereadores dizem que aplicam uma parte de salários na Capital, então queremos ajudar esses vereadores a fortalecer a saúde e a educação".

Segundo Dênis, o salário do parlamentar deve ser embasado também de acordo com sua presença nas sessões ordinárias. "Queremos que ele receba de acordo com os serviços que presta à comunidade, um trabalhador comum que não rende no mercado de trabalho, acaba tendo um salário menor ou um trabalhador que não tem estuda acaba ganhando um salário menor e isso tem que acontecer também com os vereadores, é algo justo".

Questionado sobre a reação de alguns vereadores diante da proposta, Dênis explica que nenhum deles abraçou a causa, destacando que essa questão fere a Constituição Federal. "Eles falaram que fere a Constituição, mas  a constituição fala que um vereador pode ganhar de 20% a 75% do salário do deputado estadual, veja bem de 20 a 75% e não exatamente 75%".

Dênis destaca que distribuiu 100 fichas pela cidade e cada ficha contém espaço para 36 assinaturas. O movimento fica na praça do Rádio Clube até as 18 horas e durante a semana, deve analisar a quantidade de assinaturas e em seguida, protocolar o documento na Casa de Leis.