TCE MAIO
TJMS MAIO
Menu
quarta, 25 de maio de 2022 Campo Grande/MS
TOP MIDIA INSTITUCIONAL SUPER BANNER
Campo Grande

Por ano, quase 500 bebês nascem prematuros na Maternidade Cândido Mariano

Instituição promove caminhada para chamar a atenção de autoridades e mães por prevenção

17 novembro 2018 - 10h45Por Celso Bejarano

Todos os meses, ao menos 40 dos 800 nenéns nascidos na Maternidade Cândido Mariano, maior de Campo Grande, nascem antes do tempo, prematuros, informou a psicóloga da instituição, Jaqueline Medeiros.

Ou seja, por ano, 480 mães realizam partos antes do previsto – até a 37ª semana de gestação, período que a criança é tida como prematura.

E, como meio de sensibilizar a sociedade e atrair a atenção dos governos para a causa, o hospital promoveu na manhã deste sábado (17) a II Caminhada da Prematuridade, evento ocorrido na Praça Esportiva Belmar Fidalgo, parte central da cidade.

A caminhada é parte da III Semana da Prematuridade e integra a agenda do “Novembro Roxo 2018”.

“A ideia é chamar a atenção das mães para o pré-natal e também da rede pública de saúde”, disse a psicóloga Jaqueline.

Participaram da solenidade, principalmente, mães que vestiram roupas ou acessórios roxos. No evento foram arrecadados fraudas para os prematuros.

A psicóloga informou que é difícil apontar uma causa definida para os nascidos prematuros.

Episódios ocorrem mais com as mães que enfrentam gravidez de risco. Ela disse ainda que a prevenção é o único modo de reduzir os índices de bebês que nascem antes do período.

RISCOS

Normalmente, dez situações levam ao parto prematuro. Veja as cinco principais delas conforme o site prematuridade:

1. Hipertensão e outras patologias – o fato de a mãe ter pressão normal antes da gestação não garante que esse quadro permaneça durante a gravidez. Quando a máxima estiver acima de 140 e a mínima acima de 90 é preciso um acompanhamento médico constante. Outras doenças que podem levar ao nascimento antes do tempo são diabetes e problemas na tireóide.

2. Prematuridade anterior – gestantes que já tiveram outros casos de prematuridade têm três vezes mais chances de dar à luz a bebê prematuro novamente.

3. Patologias do útero – miomas e colo do útero curto são algumas delas. A ultrassonografia transvaginal é a melhor forma de prever o risco de um bebê prematuro.

4. Infecções maternas – infecções urinárias e da vagina, que podem parecer simples, se não tratadas tendem a comprometer a gestação.

5. Incidência alta de cesariana – o parto programado pode ocorrer antes da idade gestacional adequada.