TCE Novembro
TJMS DEZEMBRO
Menu
sexta, 03 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
ALMS - NOVEMBRO
Campo Grande

Reinaldo reduz ICMS, mas 'tarifaço' de Bolsonaro aumenta contas de luz em MS

No Estado, consumidores pagarão em média R$ 6,25 a mais pelo kwh

01 setembro 2021 - 17h00Por Thiago de Souza

O consumidor de MS levou um ‘’balde de água fria’’ em relação aos gastos com energia elétrica. É que o tarifaço autorizado pelo Governo Bolsonaro, nesta quarta-feira (1º), praticamente anula a redução do ICMS feita pelo governador Reinaldo Azambuja, no setor elétrico. 

O alerta foi feito pelo Conselho de Consumidores da Área de Concessão da Energisa MS, o Concen. A entidade destaca que, em MS, os consumidores pagarão até 6,25% mais caro pelo kwh a partir desta quarta-feira. Tudo por conta da bandeira tarifária ‘’Escassez Hídrica’’, autorizada pela Agência Nacional de Energia Elétrica, a ANEEL. 

Quem será afetado

Ainda conforme o Concen, a faixa de consumo mais afetada será do cliente que consome de 50 kwh a 100 kwh, no mês. Neste caso, o valor do kwh passa de R$ 0,96 para R$ 1,02. O pior que esse cálculo já incluiu o ICMS reduzido, base cosip de Campo Grande e PIS e Confins de agosto. 

A média de consumo residencial em MS é de 200 kwh. Para clientes com esse perfil, o aumento será de R$ 0,05 a cada kwh gasto. Sendo assim, o valor salta para R$ 1,14 o kwh. 

Rosimeire Costa, presidente do Consen, faz um alerta aos consumidores sobre as novas tarifas da energia.  

“Apelamos para que a população use a energia elétrica da forma mais racional possível. Sabemos que energia está presente em tudo na rotina das famílias, mas é o único meio de evitar um grande impacto no orçamento. Também alertamos os consumidores comerciais, rurais e os industriais que não estão no mercado livre”, diz apela Costa. 

Veja novos valores do khw em setembro

‘Elas por elas’

Conforme noticiado pelo TopMídiaNews nesta terça-feira (31), a redução na alíquota do ICMS feita por Azambuja era estimada pelo Concen era de três centavos por kwh em MS. 

Sendo assim, a nova bandeira do Governo Federal trará reajuste maior do que o desconto. 

Tarifaço 

A explicação para a Bandeira Vermelha e agora a Bandeira de Escassez Hídrica é porque o Brasil passa por uma crise hídrica – a mais severa dos últimos 90 anos - fazendo com que os níveis dos reservatórios das hidrelétricas fiquem muito baixos. 

Com isso, as usinas termelétricas, que têm custo maior de produção, são ativadas. A tarifa-extra na conta de luz serve para sinalizar ao consumidor sobre o real valor da energia gerada e force uma redução no consumo.