Menu
domingo, 29 de maio de 2022 Campo Grande/MS
TOP MIDIA INSTITUCIONAL SUPER BANNER
Campo Grande

Vítima de atropelamento tem quadro revertido após cirurgias na Santa Casa

Jovem sofreu múltiplas fraturas e poderia ficar sem os movimentos, mas cirurgias deram nova oportunidade de vida

18 janeiro 2022 - 16h30Por Vinicius Costa

Jovem de 20 anos por pouco não perdeu todos seus movimentos após ser vítima de atropelamento na cidade de Três Lagoas, no dia 30 de dezembro do ano passado. Mas em virtude das cirurgias realizadas pela Santa Casa de Campo Grande, ele pôde voltar para casa.

Após o acidente ele foi diagnosticado com múltiplas fraturas na coluna, tendo lesão em três vértebras da coluna torácica e uma na segunda vértebra cervical, o que para o hospital, são consideradas fraturas instáveis, que poderiam colocar em risco o deslocamento de vértebras e lesão medular.

Existia também o risco das sequelas ficarem permanentes. A cirurgia aconteceu no dia 4 de janeiro.

Por isso, o jovem foi trazido para Campo Grande com o intuito realizar cirurgias para correção dessas fraturas e garantir uma melhor qualidade de vida.

Segundo a assessoria da Santa Casa, o paciente foi submetido a dois procedimentos cirúrgicos, sendo o primeiro uma fixação da coluna através de próteses de titânio chamada artrodese da coluna dorsal e o segundo uma osteossíntese de odontóide na coluna cervical.

“A cirurgia na coluna cervical para fratura do odontóide, apesar de ter duração em torno de 1 hora, exige muito sincronismo da equipe, pois é feita por um acesso minimamente invasivo e precisamos guiar um parafuso de forma tridimensional através do raio-X, feito em tempo real”, disse a médica neurocirurgiã do hospital, Drª Mariana Mazzuia.

Já no segundo procedimento, conduzido pelo neurocirurgião Dr. Wolnei Zeviani, a complexidade foi ainda maior, pois “nesta cirurgia de correção de fratura na coluna torácica substituímos duas vértebras que sofreram esmagamento completo, por uma armação de titânio e, para tal, é utilizado um acesso cirúrgico em torno de 4 cm entre os pulmões e a medula espinhal, onde fixamos essas vértebras acima e abaixo da fratura com parafusos de titânio”, destacou Wolnei.

Após o sucesso na cirurgia, o jovem ficou três dias internados em recuperação e recebeu alta hospitalar com os movimentos preservados e segue o tratamento em casa na companhia da família.

“Quero agradecer a todos que participaram da cirurgia do meu marido, está tendo uma ótima recuperação da cirurgia”, disse a esposa da vítima.