Menu
Busca quinta, 02 de julho de 2020
MS DIGITAL - COMPET
Cidade Morena

Mãe em trabalho de parto é dispensada com dipirona e aviso que bebê nasceria em duas semanas

Pai de recém-nascido diz que maternidade praticamente negou atendimento; bebê nasceu no H.U. horas depois

30 junho 2020 - 07h00Por Rayani Santa Cruz

Carlos Henrique, 25 anos, se viu numa situação de desespero até conseguir internar a esposa Dayane Silva, de 28 anos,  que estava em trabalho de parto, neste sábado (27). Ele fez publicação no grupo Aonde Não ir em Campo Grande e disse que um médico da maternidade Cândido Mariano dispensou atendimento e previu o nascimento da criança para daqui duas semanas. 

A parturiente já estava com 38 semanas de gestação. “Ela acordou de madrugada com dor e arrumamos a sacola do bebê. Depois seguimos para a maternidade. Chegamos lá por volta das 6h da manhã, minha esposa foi atendida por volta das 8h30 e o médico disse que as dores e contratações eram normais porque o neném era muito grande. Ele passou dipirona pra ela, disse que não tinha motivos para internação e ocupar leito, pois a maternidade estava cheia. Ele disse para irmos embora porque ela iria aguentar mais duas semanas”, contou o pai.

Ao sair da maternidade, Carlos optou por ir ao Hospital Universitário, onde horas depois Dayane dele teve o bebê, por meio de cesariana. “Fomos muito bem atendidos, a bolsa estourou às 15h35, e ela já estava com 8 centímetros de dilatação. Mas o neném não encaixou e foi feita uma cesariana. Isso porque era para nascer daqui duas semanas”, ironizou o pai, em referência à maternidade onde teve o primeiro atendimento.

Carlos explicou que a esposa está bem e feliz que, no final, tudo deu certo. O menino, batizado de Bryan Henrique, nasceu forte, com 3,5 kg.

(Bryan nasceu forte e todo ativo. Foto: Arquivo Pessoal)

Posicionamento da maternidade

Em contato com a maternidade, Cândido Mariano a assessoria de comunicação afirmou que:  "os profissionais do hospital seguem todas as determinações do Ministério da Saúde e de políticas de saúde pública, bem como o acolhimento e a qualidade na atenção ao parto e nascimento. Sobre o caso, a diretoria da Maternidade Cândido Mariano está apurando a denúncia e ressalta que todas as providências estão sendo tomadas pela direção, estando à disposição para esclarecer qualquer informação".

Leia Também

Mulher de 50 anos morre em Campo Grande e agora as vítimas da covid são 105
Cidade Morena
Mulher de 50 anos morre em Campo Grande e agora as vítimas da covid são 105
Pioneiro, estudo da Cassems mede custos da violência contra mulheres ao plano de saúde
Cidades
Pioneiro, estudo da Cassems mede custos da violência contra mulheres ao plano de saúde
Pedreiro morre depois de engasgar em churrasco para comemorar fim de obra
Polícia
Pedreiro morre depois de engasgar em churrasco para comemorar fim de obra
Arregou: valentão xinga prefeito no Facebook e pede perdão na frente de delegada
Política
Arregou: valentão xinga prefeito no Facebook e pede perdão na frente de delegada