volta as aulas
Menu
Busca segunda, 24 de fevereiro de 2020
Cidade Morena

Siqueira critica omissão da polícia na cracolândia e PM responde: 'sabemos o que fazer'

Veja o vídeo com a resposta do tenente-corenel Claudemir de Melo Domingos

13 fevereiro 2020 - 19h17Por Thiago de Souza e Willian Leite

Vereador Vinícius Siqueira (DEM), criticou, durante fala na tribuna da Câmara Municipal, a omissão das polícias civil e militar no combate ao tráfico de drogas na rodoviária velha, onde há uma cracolândia. Horas depois, o comandante do 1º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel, Claudemir de Melo Domingos, gravou um vídeo e rebateu, uma a uma, as críticas do parlamentar.

Siqueira, em sessão desta quinta-feira (13), criticou o governo do Estado por meio do secretário de Segurança Pública, Antônio Videira, que não estaria promovendo ações policiais na região.

No vídeo, de cerca de dois minutos e meio, Melo enumerou diversas ações policiais, tanto da PM como da Polícia Civil, especificamente na região central.

''Nós fazemos todos os dias, vereador Vinícius, prisões de pessoas que cometem qualquer tipo de crime. E a gente sabe fazer nosso trabalho, tanto a PM quanto a Polícia Civil. O senhor tentar ensinar a polícia, é a mesma coisa que eu tentar ensinar o senhor a ser vereador'', refletiu o oficial.

Siqueira fez críticas sobre a cracolândia no centro. (Foto: Reprodução Facebook)

Entre os resultados destacados, diz Melo Domingos, a PM e a Civil teriam reduzido uma mancha criminal de 40% em roubos e furtos na área central.

''Diminuímos um macha criminal de 350 usuários de entorpecentes que realmente estavam transformando o local em cracolândia...para 40 usuários'', reportou o tenente-coronel.

Claudemir de Melo Domingos destacou que a questão dos usuários de droga também é social e médica e citou ações que resultaram na internação de diversos dependentes da região.

''Nós temos a capital mais segura e no estado mais seguro para se viver...isso eu imputo aos heróis da polícia Militar e Civil. Eu gostaria que o senhor pedisse desculpas, se o senhor não tiver essa grandeza, eu peço pelo senhor aos nossos policiais civis e militares de Mato Grosso do Sul'', finalizou o comandante.