Menu
terça, 22 de setembro de 2020
Cidades

Com 13 mortes, MS não consegue bater meta de vacinação contra a gripe em 2019

A partir desta segunda-feira (3), campanha está aberta para o público geral até acabarem os estoques

03 junho 2019 - 17h50Por Amanda Amaral

Mato Grosso do Sul não conseguiu atingir a meta de vacinar 90% da população alvo da campanha pela vacinação contra a gripe em 2019. O Ministério da Saúde informou hoje (3) que o estado conseguiu imunizar 674.089 mil pessoas entre 801.907 previstas, o que representa 84,06%.

O último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES) aponta que só neste ano 13 pessoas morreram vítimas da doença no estado. Uma das vítimas morreu em Campo Grande e cinco em Três Lagoas. Os demais municípios foram Corumbá, Rio Verde, Porto Murtinho, Inocência e Aquidauana.

Entre os estados, oito conseguiram bater a meta de 90%: Amazonas (100,1%); Amapá (99,3%); Pernambuco (95%); Espírito Santo (93,6%); Rondônia (94%); Maranhão (93,5%); Rio Grande do Norte (92,3%) e Alagoas (93,4%), conforme a Agência Brasil. O balanço nacional da campanha ficou em 81,1% de cobertura. O estado com mais baixo índice de cobertura é o Rio de Janeiro, com 66,33%, seguido por São Paulo, com 73,78%. 

Ainda segundo o governo federal, 4,2 milhões de crianças e gestantes ainda não se vacinaram contra a gripe no Brasil. De acordo com balanço divulgado pela pasta, a cobertura vacinal está em 76% nos dois grupos e ainda não atingiu a meta 90% de vacinação contra o vírus Influenza.

Público geral

São 3,7 milhões de crianças e 514,5 mil de gestantes que deixaram de se proteger contra a gripe. A partir desta segunda-feira, toda a população pode se vacinar contra a gripe nos postos do Sistema Único de Saúde (SUS).

Além de crianças e gestantes, também estão abaixo da meta de vacinação os trabalhadores da área de saúde, com 80,4%, as pessoas com comorbidade (75,6%), a população privada de liberdade (61,7%) e os profissionais das forças de segurança e salvamento (38,9%).

Segundo o Ministério da Saúde, todos os grupos prioritários ainda podem se vacinar contra a gripe até acabarem os estoques da vacina.

Meta

De acordo com o ministério, entre os grupos que atingiram a meta de 90% estão os funcionários do sistema prisional (105,7%), as puérperas, que são as mulheres com até 45 dias após o parto (96,6%), professores (93,8%), indígenas (92,2%) e idosos (90,4%).

"A escolha do público prioritário no Brasil segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), por serem grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias. A vacina é a forma mais eficaz de evitar a doença", informou o ministério.

De acordo com o Ministério da Saúde, neste ano, até 11 de maio, foram registrados 807 casos de síndrome respiratória aguda grave por influenza em todo o país, com 144 mortes. Até o momento, o subtipo predominante de gripe no país é o vírus Influenza A (H1N1), com 407 casos e 86 óbitos.

Segundo a pasta da Saúde, já foram disponibilizadas 9,5 milhões de unidades da vacina para o atendimento da população neste ano. O tratamento deve ser feito, preferencialmente, nas primeiras 48 horas após o aparecimento dos sintomas.

Leia Também

Suspeito de matar homem em conveniência no Zé Pereira é preso na casa da mãe
Polícia
Suspeito de matar homem em conveniência no Zé Pereira é preso na casa da mãe
Festa de aniversário é sonho de meninas e mãe pede ajuda pra 'dar o que não teve'
Algo mais
Festa de aniversário é sonho de meninas e mãe pede ajuda pra 'dar o que não teve'
PM morre afogado ao tentar salvar filho levado pela correnteza em praia do RJ
Geral
PM morre afogado ao tentar salvar filho levado pela correnteza em praia do RJ
Escultura era para ser peixes gigantes, mas gerou revolta por parecer outra coisa
Geral
Escultura era para ser peixes gigantes, mas gerou revolta por parecer outra coisa