Menu
sábado, 26 de setembro de 2020
Cidades

Regulamentação volta à pauta e motoristas de aplicativo temem excesso de impostos

A categoria se mostra favorável aos cursos, desde que sejam gratuitos; veja regras em discussão em Campo Grande

11 junho 2019 - 07h00Por Maressa Mendonça

A regulamentação dos motoristas de aplicativo de caronas pagas em Campo Grande voltou a ser tema de debates na Câmara Municipal e a categoria teme pela diminuição dos lucros com o aumento das exigências. O projeto de Lei foi elaborado pela Prefeitura e algumas emendas já foram propostas pelos vereadores. Esta não é a primeira vez que o assunto é debatido.

No ano passado, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) publicou um decreto para regulamentar o transporte remunerado de passageiros em Campo Grande. Dentre os pontos mais polêmicos do texto à época, o da limitação do número de veículos autorizados a exercer a atividade na cidade.  O decreto acabou suspenso pela Justiça e ficou decidido que deveria ser transformado em Projeto de Lei. Ele já está tramitando na Casa de Leis e deve ter emendas.

Dentre as regras do novo projeto está a obrigatoriedade de os motoristas se cadastrarem nas Operadoras de Tecnologia de Transporte (OTTs), além de participarem de um curso de formação específico, com conteúdo e carga horária definidos pela Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito).

Outra questão é obrigatoriedade de os motoristas entregarem recibo aos passageiros. Os vereadores questionam que nenhum outro tipo de transporte oferece recibo.

Presidente da Applic-MS (Associação de Parceiros de Aplicativos de Transporte de Passageiros e Motorista Autônomo de Mato Grosso do Sul), Paulo Pinheiro, disse que a categoria deve se reunir hoje com os vereadores para ter outros detalhes sobre o projeto.

Ele disse concordar com a realização de cursos desde que sejam gratuitos. “Nossa luta é que a tributação não recaia sobre o motorista, que já ganha tão pouco dos aplicativos”. A ideia, segundo ele, é que os aplicativos e não os profissionais paguem pelos novos tributos.

Leia Também

Com rio Paraguai abaixo de 10 cm, Agência Nacional de Águas monitora impactos da seca
Interior
Com rio Paraguai abaixo de 10 cm, Agência Nacional de Águas monitora impactos da seca
Casa pega fogo e assusta neta e avó em bairro de Campo Grande
Cidades
Casa pega fogo e assusta neta e avó em bairro de Campo Grande
Se cumprir medidas de segurança, Balneários de Corumbá podem voltar a funcionar
Interior
Se cumprir medidas de segurança, Balneários de Corumbá podem voltar a funcionar
Irmãos gêmeos são executados em quitinete na Mata do Jacinto
Polícia
Irmãos gêmeos são executados em quitinete na Mata do Jacinto