Menu
domingo, 24 de outubro de 2021 Campo Grande/MS
Cidades

Das 120 agências bancárias da Capital, 110 estão fechadas e greve continua

Quase todas as agências estão fechadas e greve ainda continua por tempo indeterminado

22 setembro 2016 - 14h41Por Anna Gomes

Os bancários de todo Brasil ainda continuam em greve por tempo indeterminado. A categoria está com os braços cruzados desde o dia seis deste mês, após rejeitarem a proposta de reajuste salarial da Fenaban (Federação Nacional dos Bancos), quando o índice proposto foi de 7%. Os trabalhadores reivindicam reajuste de 14,78%, sendo 5% de aumento real e 9,78% de correção da inflação.

Conforme o Sindicato dos Bancários de Campo Grande-MS, até o momento, a categoria se reuniu duas vezes com a Fenaban, mas sem um acordo, a greve completa 17 dias nesta quinta-feira (22).

Ainda conforme o sindicato, das 120 agências de Campo Grande, 110 estão fechadas, ou seja, praticamente toda classe aderiu a paralisação e o número ainda pode aumentar com o passar dos dias.

A categoria está indignada com a proposta apresentada, pela Fenaban, já que os bancos lucraram R$ 29,7 bilhões somente no primeiro semestre deste ano.

Além do reajuste de 14,78% no salário e benefícios, a categoria pede: combate às metas abusivas e ao assédio moral; fim das demissões, ampliação das contratações, combate às terceirizações e à precarização das condições de trabalho; mais segurança nas agências bancárias e auxílio educação.

A categoria entregou a pauta de reivindicações no dia 9 de agosto. A data-base da categoria é setembro e a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) tem validade nacional.

 

Decisão Judicial

Na última sexta-feira (16), a Justiça do Trabalho acolheu pedido da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil)-MS em Ação Civil Pública e determinou a volta do expediente, com pelo menos 30% do efetivo, apenas nas unidades conveniadas com o Poder Público, para o cumprimento de mandados judiciais envolvendo pagamento e liberação de valores depositados em contas judiciais.

O Sindicato esclarece que já cumpre rigorosamente o que determina a Lei 7.783 e que essa medida judicial não afeta em nada a greve dos trabalhadores dos bancos, que é um direito garantido em lei.

“Essa decisão não atinge em nada na nossa greve. A lei estabelece como essencial o serviço de compensação bancária, o que vem ocorrendo normalmente desde o primeiro dia de paralisação. A greve é legítima e vai continuar em todo país, inclusive aqui em Mato Grosso do Sul”, disse o presidente do sindicato, Edvaldo Barros.

Leia Também

Idoso passa mal e morre dentro de casa no Leblon
Polícia
Idoso passa mal e morre dentro de casa no Leblon
Rapaz tenta se livrar de revólver e acaba preso no Jardim Aeroporto
Polícia
Rapaz tenta se livrar de revólver e acaba preso no Jardim Aeroporto
Idoso é atingido por bala perdida após visitar familiares no Panorama
Polícia
Idoso é atingido por bala perdida após visitar familiares no Panorama
Bebê morre em parto em casa no Novos Estados, em Campo Grande
Polícia
Bebê morre em parto em casa no Novos Estados, em Campo Grande