tjms 18/01 a21/01/2021
Menu
terça, 19 de janeiro de 2021
Covid 18/01 a 24/01
Cidades

Gasolina foi 'pedra no sapato' do campo-grandense, com alta de 30% no preço em 2019

Valor do combustível sofreu nove variações de preço ao longo do ano

01 janeiro 2020 - 15h15Por Thiago de Souza

A gasolina foi uma ''pedra no sapato'' do sul-mato-grossense em 2019. Foram nove variações de preços, que resultaram em alta de 30% no preço do combustível.

Conforme o Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis, Lubrificantes e Lojas de Conveniência de Mato Grosso do Sul, o Sinpetro, os meses em que a gasolina mais subiu foi em maio e novembro deste ano.

No mês de maio, por exemplo, a gasolina teve preço médio de R$ 4,251nos 171 estabelecimentos pesquisados. O valor mínimo foi R$ 4,089 e o máximo R$ 4,499.

Em novembro, a Agência Nacional do Petróleo pesquisou 170 postos em Campo Grande. A média de preço da gasolina ficou em R$4,064. Na ocasião, o preço mínimo foi R$ 3,944 e o máximo R$4,299.

O presidente do Sinpetro, Edson Lazaroto, considerou que 2019 foi um ano ''atípico e difícil'' para o segmento de combustíveis. Entre os fatores que interferiram nos preços, um foi o atentado na refinaria da Arábia Saudita [14 d emaio], que gerou aumento dos preços do barril de petróleo e ainda apreensão quando a falta de produto no mundo.

Lazaroto também destaca que, internamente, a economia só deu sinais positivos no último trimestre do ano, segundo ele, após a aprovação da reforma da previdência.

''Portanto, o mercado de comportou com a devida cautela e observamos que houve um pequeno acréscimo no volume comercializado da gasolina, em torno de aproximadamente 1%'', destacou o dirigente.

Início e fim de 2019

Em janeiro, a ANP consultou 213 postos na Capital, tendo preço médio de R$ 3,981. O menor valor achado foi de R$ 3,799  e o maior R$ 4,290.  

Nas duas primeiras semanas de dezembro, a ANP pesquisou 171 postos, onde o preço médio foi de R$ 4,211, sendo o mínimo encontrado de R$ 3,99 e o maior de R$ 4,399.