TCE FEVEREIRO
Menu
Busca segunda, 17 de fevereiro de 2020
Cidades

Governo decreta situação de emergência por causa das queimadas em Mato Grosso do Sul

Corpo de Bombeiros está em alerta máximo e montou uma escala operacional de combate ao fogo

11 setembro 2019 - 13h28Por Diana Christie

O governador Reinaldo Azambuja declarou situação de emergência em Mato Grosso do Sul em razão da alta incidência de focos de queimadas, com impactos ambientais, de saúde e econômicos. O decreto será publicado no Diário Oficial do Estado nesta quinta-feira (12).

Levantamento do Ibama (Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) revela que mais de 1 milhão de hectares já foram destruídos pelo fogo este ano e as previsões são continuidade de ambiente de alto risco em função da estiagem prolongada e baixa umidade do ar.

“Foi tomada uma decisão técnica, em razão de uma situação crítica, onde o número de focos, que vinha se mantendo dentro de uma média, sofreu uma alteração drástica nos últimos dias e o fogo se expandiu, com impactos diretos no meio ambiente, na saúde da população e na produção”, explicou Jaime Verruck, da Semagro (Secretaria estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar).  

O Governo monitora os focos de calor, com sobrevoos nas áreas mais críticas, enquanto o Corpo de Bombeiros está em alerta máximo e montou uma escala operacional de combate ao fogo, envolvendo 56 militares de folga e do setor administrativo, além dos 200 homens já em operação.

Com o decreto, o objetivo é buscar apoio do Ministério da Integração Regional e do Exército para fornecimento de infraestrutura, como a disponibilidade de aeronaves e brigadistas. As entidades ligadas ao agronegócio e ao setor de celulose, que contam com estrutura de combate ao fogo, já foram acionadas.

 “A situação tende a piorar, com a onda de calor e a baixa umidade, e a população precisa ficar alertar, não queimar, e denunciar imediatamente aos órgãos competentes, como a Polícia Ambiental e o Corpo de Bombeiros, algum foco de calor para uma ação simultânea de combate”, alertou o secretário.

Em números

Conforme levantamentos da Defesa Civil do Estado, divulgado no Portal MS, o volume de focos de calor aumentou em 300% nos últimos três meses e o mês de setembro já supera as médias históricas, gerando um ambiente de alta combustão e crítico, com o registro de 397 pontos de fogo nas últimas 48 horas, a maioria no Pantanal.

“Mais de 90% são queimadas criminosas”, apontou o secretário Jaime Verruck, lembrando que desde 2014 vigora uma resolução conjunta do Estado com o Ibama, que proíbe a queima controlada em Mato Grosso do Sul, de 1º de agosto a 30 de setembro, estendendo-se até 31 de outubro na região do Pantanal.