(67) 99826-0686
PMCG - REFIS 01 a 30/07/2019

Quem come melhor? Estudantes ou presos? Mãe denuncia refeição sem carne em escola integral

Mulher afirma que o filho não come carne na hora do almoço e só recebe paçoca de lanche durante a tarde

12 ABR 2019
Dany Nascimento
07h00min
Foto: Google Maps

Revoltada após tomar conhecimento de que o filho não estaria sendo bem alimentado na Escola Estadual Célia Maria Naglis, Andreia Ferreira utilizou as redes sociais para fazer um desabafo em forma de alerta para outros moradores da região das Moreninhas, em Campo Grande. Ela afirma que a criança estuda de forma integral no local e a comida servida como almoço não oferece nem carne.

“Precisamos acompanhar de perto a alimentação dos nossos filhos. Eles passam o dia todo estudando e estão tendo uma alimentação regrada, sem mistura, com uma banana ou uma paçoca como lanche da tarde. Sei que muitos vão falar que tenho que dar graças a Deus por ter essa alimentação, mas pagamos nossos impostos e pagamos muito caro por sinal. De nada adianta abrir escolas e com uma péssima qualidade”, escreveu a mulher no grupo ‘Comércio Delas’, no Facebook.

Ela afirma que o Estado oferece uma alimentação melhor aos presos. “O preso que roubou, matou, estuprou não come uma refeição sem carne. Hoje meu filho disse que o almoço foi arroz, feijão e salada”.

Além disso, a moradora reclama do atraso na entrega do kit escolar. “O material vai chegar depois das férias?”, finaliza a postagem com o questionamento.

Diversas pessoas comentaram a publicação, entre elas, Angela Gadda, que afirma que os pais devem agendar uma reunião com a direção da escola e acionar a Justiça. “Temos que nos reunir junto com a direção da escola e fazer um documento, um levantamento de tudo que queremos e entrar com uma ação no Ministério Público contra o Estado! Só assim teremos uma resposta rápida e positiva! Alguém concorda?”, escreveu Angela.

“Às vezes, na escola do meu filho, nem comida tem, eles dão meio copo de leite e metade de um pão”, escreveu Aline Fagundes.

Governo do Estado

O TopMídiaNews entrou em contato com o governo do Estado,  que informou que a informação repassada pela mãe é falsa. “A Coordenadoria de Alimentação Escolar (Coale) entrou em contato com a unidade escolar e fomos informados que as três refeições diárias foram servidas regularmente e, embora a escola esteja em adaptação por conta do período de implementação do Ensino Fundamental em Tempo Integral (EFTI), o cardápio aplicado está de acordo com as orientações da Secretaria de Estado de Educação (SED). Por fim, informamos que, nesta quinta-feira, será realizada uma visita técnica pela equipe da Coale para o acompanhamento da situação relatada”.

 

Matéria editada às 7h23 para acréscimo de informações

Veja também