Menu
Busca quarta, 22 de janeiro de 2020
Cidades

População aprova ideia de abastecer próprio carro, mas teme pelo desemprego de frentistas

Dados do sindicato da categoria apontam que 7 mil podem perder emprego em MS

06 julho 2019 - 15h15Por Maressa Mendonça

Descer do carro ou da moto e abastecer na própria bomba, sem o auxílio de frentistas, como ocorre de ponta a ponta nos Estados Unidos, pode se tornar realidade também no Brasil em caso de aprovação do projeto 2302/19, em tramitação na Câmara Federal.

A reportagem do TopMídiaNews conversou com a população para saber sobre a aceitação do projeto. A maioria aprova, mas fica a preocupação com o aumento do desemprego.

O representante comercial Nilson Moraes, de 41anos, levantou a questão. " Uma boa ideia, mas o cara vai ficar desempregado?", questionou. Ele ressaltou que a geração de empregos já está baixa. "Vai piorar mais ainda?".

Preocupação semelhante foi demonstrada pela estudante universitária Sheila Perez, 19 anos. "Às vezes pode ser uma coisa boa para a gente e ruim para eles".

A jornalista Fabiane Neiva, de 27 anos, disse que poderia ser estranho já que não tem familiaridade nenhuma com aqueles equipamentos.

Enquanto isso o repositor de estoque Paulo Sérgio Rosa, que disse já ter ouvido falar desse projeto em outra ocasião, está engajado com a ideia. "Eu aprovo".

O PROJETO 

O projeto de Lei Federal 2302/19, do deputado Vinicius Poit (Novo-SP) , permite o funcionamento de bombas de autosserviço operadas pelo próprio consumidor nos postos de abastecimento de combustíveis, em todo o território nacional. No momento, ele está sendo analisado por algumas comissões da Câmara dos Deputados. A ideia é reduzir o preço do combustível com a redução dos encargos trabalhistas pagos pelos empresários.