TCE 27/10 a 29/10
Menu
quinta, 28 de outubro de 2021 Campo Grande/MS
Cidades

Prefeitos querem criação de tilápia no Pantanal, mas espécie é exótica e oferece riscos

MS tem um caso de introdução acidental de peixe da Bacia Amazônica

19 setembro 2021 - 13h30Por Thiago de Souza

Prefeitos de cidades sul-mato-grossenses propuseram ao governo do Estado a criação de tilápias no bioma pantaneiro. No entanto, a espécie, que é nativa da África, pode botar em risco a sobrevivência e o equilíbrio das demais espécies. 

Os gestores Edilson Magro, de Coxim; Enelto Ramos, de Sonora; Willian Fontoura, de Pedro Gomes e Dalmy Crisóstomo, de Alcinópolies, vieram até Campo Grande para pedir autorização ambiental para a criação de tilápias. O encontro foi com o secretário de Meio Ambiente do Estado, Jaime Verruck, e o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Paulo Corrêa. 

A justificativa dos prefeitos é que a criação da espécie exótica iria alavancar a economia do micro e pequeno empreendedor da região, sobretudo os piscicultores. Eles apontaram que a tilápia é de fácil criação, resistente a doenças, tem boa capacidade reprodutiva e fáceis de serem alimentados. 

Autorização 

A necessidade de autorização é por conta que a criação de qualquer espécie que não seja nativa é proibida no Pantanal, bioma que faz parte da Bacia do Alto Paraguai. Portaria do Ibama e a lei 1.653, que trata sobre a psicultura no Estado deixam claro os riscos da medida. 

‘’Serão considerados impactos ambientais decorrentes da piscicultura os seguintes eventos: I - introdução de espécies exóticas que possam alterar a freqüência natural de ocorrência das populações ou as possibilidades de sobrevivência de qualquer espécie animal ou vegetal... ‘’, diz trecho da legislação. 

Na Portaria 145-N do Ibama, de 29 de outubro de 1998, o texto estabelece normas para ‘’introdução, reintrodução e transferência de peixes, crustáceos, moluscos e macrófitas aquáticas para fins de aqüicultura, excluindo-se as espécies animais ornamentais’’. 

Em outro trecho, a portaria considera os riscos de introdução de espécies não nativas nas bacias hidrográficas. 

‘’... o risco de essas espécies serem vetores de organismos patogênicos não encontrados nas espécies da fauna e flora aquáticas nativas... ‘’, diz o texto. 

Tucunaré é espécie exótica no Pantanal

Riscos

Em 2017, reportagem do UOL Meio Ambiente trouxe falas de pesquisadores sul-mato-grossenses, que alertavam para a introdução acidental do tucunaré no Pantanal de MS. 

Segundo a matéria, o tucunaré é um peixe de origem amazônica e foi inserido na década de 80 em MS em razão do rompimento de uma represa em uma fazenda. 

O motivo do alerta, à época, era que o peixe é carnívoro e devorava os demais peixes pequenos. Por isso, o peixe amazônico se transformou em predador de topo de cadeia, botando em risco as populações de outras espécies. 

O espaço está aberto aos prefeitos citados. 

Leia Também

Colégio Militar aceita filha de Bolsonaro; apenas 10 alunos ingressaram por concurso em MS
Campo Grande
Colégio Militar aceita filha de Bolsonaro; apenas 10 alunos ingressaram por concurso em MS
Feriadão empolga e aeroporto da Capital pode receber mais de 20 mil passageiros
Campo Grande
Feriadão empolga e aeroporto da Capital pode receber mais de 20 mil passageiros
Pista de skate das Moreninhas tem investimento de R$ 1 milhão do Governo de MS
Campo Grande
Pista de skate das Moreninhas tem investimento de R$ 1 milhão do Governo de MS
Agora vai? Tempo fecha em Campo Grande e anuncia novo vendaval
Campo Grande
Agora vai? Tempo fecha em Campo Grande e anuncia novo vendaval