(67) 99826-0686
Gov - Agosto Lilas 09 a 24/08

Em busca de experiência? Projeto vai levar jovens advogados para atuar no Tribunal do Júri

Profissionais recém-formados têm dificuldade em atuar na área por falta de oportunidade; conheça como funciona

10 JUN 2019
Maressa Mendonça
14h59min
Atuar no Tribunal do Júri desperta o sonho dos jovens advogados Foto: André de Abreu/Top Mídia News

A participação de jovens advogados, ou seja, aqueles com até cinco anos de inscrição na OAB, nos Tribunais do Júri de Mato Grosso do Sul, pode ficar mais frequente. Este é o objetivo da Associação dos Advogados do Tribunal do Júri (AAJUR) do Estado, além de "descongestionar” a Defensoria Pública, responsável pela maioria dos casos.

Trata-se de um grupo de profissionais que têm como alvo buscar oportunidades para jovens advogados e prepará-los para atuação nestes tribunais por meio de cursos. “Eles têm pouquíssima oportunidade de atuar em plenário”, explicou o também advogado José Marcos Maksoud Júnior.

Para participar do projeto os advogados deverão se inscrever na associação. Em princípio não haverá custos, mas, posteriormente eles terão de pagar uma anuidade simbólica. Este valor será revertido em uma ajuda de custo para viagens de advogados para atuação em outras comarcas.

"A associação não tem a pretensão de ser um 'poder paralelo' a OAB, mas, busca suprir em partes as dificuldades que possui o jovem advogado quando o assunto é Júri". 

Segundo ele, nos primeiros anos após a conquista da carteirinha da ordem, os profissionais ainda têm certa dificuldade em conseguir clientes e pegar um caso no Tribunal do Júri. Curiosamente, esta é uma das áreas que mais desperta interesse nos estudantes, advogados e promotores. “Pegar um caso no Tribunal do Júri é excepcional. Muitos têm vontade, mas falta oportunidade”, completou.

Advogados que organizam o projeto - Foto: Arquivo Pessoal

Na prática, os integrantes da associação seriam vinculados às varas de Campo Grande e do interior para oferecer o serviço. Parte dos honorários destes advogados seria destinada aos projetos de ressocialização dos detentos do Estado.

As conversas com os juízes de cada comarca devem ter início na próxima semana. “Eles são os maiores interessados em ter uma defesa atuante nas varas”, declarou Maksoud Júnior.

O advogado explicou ainda que os casos de integrantes da associação serão avaliados também por profissionais mais experientes na área como José Roberto Rosa, Ricardo Machado Maksoud, Fábio Trad Filho,  Pedro Raupp Sperb, dentre outros. 

Veja também