Menu
sábado, 23 de outubro de 2021 Campo Grande/MS
Cidades

Saúde de MS diz que falta antibiótico para pacientes com Covid atinge o país

A SES alega que médicos utilizam tratamentos similares

29 junho 2021 - 11h00Por Dany Nascimento

A Secretaria de Estado de Saúde se pronunciou sobre a falta do antibiótico Polimixina B e afirma que a situação ocorre em todos os estados brasileiros, não apenas em Mato Grosso do Sul. Polimixina B é um antibiótico para tratamento de infecções por bactérias multi resistentes.

“O antibiótico Polimixina B está em falta no País inteiro, por falta de importação de matéria prima. Essa falta está ocorrendo no mundo todo, pois todos os lugares do mundo estão utilizando esse antibiótico”, diz a secretaria, por meio da assessoria de comunicação. 

Conforme a SES, os processos legais para adquirir o medicamento de forma emergencial já foram feitos pelo governo do Estado. 

“Informamos que os processos legais de aquisição de medicamentos, sejam processos para formalização de Atas de Registro de Preço e/ou processos de aquisições emergenciais, estão em curso. Entretanto, as empresas responsáveis pela importação do remédio no Brasil enviaram documento avisando na falta mundial do insumo e com isso o atraso na entrega das compra já realizadas”, afirma a SES.

Mesmo com a falta do medicamento, a Secretaria afirma que o Hospital Regional utiliza tratamentos similares nos pacientes internados com Covid-19. 

“Os pacientes estão recebendo todos os medicamentos necessários.  As famílias devem procurar a ouvidoria do HRMS, caso as informações repassadas pela equipe médica assistencial deixe dúvidas. Dessa forma,   o Hospital poderá  responder a eles pelo  canal  oficial”, finaliza a SES.

Reclamação

Revoltada com a falta da medicação Polimixina B na rede SUS (Sistema Único de Saúde), em Mato Grosso do Sul, uma técnica de enfermagem faz apelo e destaca que a cunhada necessita da medicação para vencer a Covid-19. 

Segundo a técnica, a cunhada está internada há mais de quinze dias no Hospital Regional de Mato Grosso do Sul e agora, os médicos pediram para a família providenciar o antibiótico.

“Essa medicação é utilizada para matar uma bactéria muito resistente. Quem teve Covid, fica muito resistente aos antibióticos, daí usa esse que é um dos últimos recursos, últimas tentativas. Tem muitos outros em falta, mas precisamos desse para ajudar ela a vencer”, diz a técnica. 

“O médico falou que algumas famílias estão fazendo mutirão, juntando e comprando direto do fornecedor, que sai mais em conta. Conversei com uma senhora, ela achou por R$ 350 cada ampola. A média de uso é de quatro a seis ampolas por dia, durante dez a 14 dias. Criamos uma vaquinha online para ajudar minha cunhada, mas tem muitas outras famílias precisando de ajuda”, diz a jovem.

Ela conta que a medicação foi deixada como doação na farmácia do  hospital. “Os fornecedores estão comprando de outros estados. A que compramos para ela é de São Paulo”, diz a técnica.  

Leia Também

Briga eleitoral 'quase' cancela show de Régis Danese e gera revolta em Bandeirantes
GLÓRIA E VOTO
Briga eleitoral 'quase' cancela show de Régis Danese e gera revolta em Bandeirantes
Nelsinho participa de encontro regional do PSD e fala da força política de MS
Política
Nelsinho participa de encontro regional do PSD e fala da força política de MS
Ventania deixa bairros de Campo Grande sem energia novamente
Campo Grande
Ventania deixa bairros de Campo Grande sem energia novamente
Acusado de sequestrar criança de 9 anos é preso em Dourados
Interior
Acusado de sequestrar criança de 9 anos é preso em Dourados