TJMS - novembro
tce novembro
Menu
Busca segunda, 18 de novembro de 2019
Cidades

Barato sai caro: em 6 meses, Sejusp registrou quase 1 mil compradores acusados de receptação em MS

Receptador por pegar de 1 até 8 anos de reclusão, caso seja indicado por receptação qualificada

22 junho 2019 - 18h10Por Nathalia Pelzl

Viu alguém vendendo algo na internet com preço muito acessível, mas não tem certeza da procedência? A melhor alternativa é não comprar, pois, caso o item, geralmente veículo, seja roubado ou furtado, você que adquiriu o bem pode ser enquadrado pelo crime de receptação e pegar de 1 até 8 anos, caso seja indicado por receptação qualificada.

Conforme estatísticas da Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública), até o dia 11 de Junho, em todo o Estado 939 casos de receptação foram registrados, sendo 286 ocorrências em Campo Grande.

Segundo a Lei 2848/40, Artigo 180, é receptação “Adquirir, receber, transportar, conduzir ou ocultar, em proveito próprio ou alheio, coisa que sabe ser produto de crime, ou influir para que terceiro, de boa-fé, a adquira, receba ou oculta”. Sendo que a pessoa que for pega cometendo este tipo de crime, pode ter como penalidade de um a quatro anos de reclusão, além de multa.

Além disto, a pessoa pode também ser indiciada pelo crime de receptação qualificada, caso utilize o item receptado em proveito próprio ou no exercício de atividade comercial ou industrial, podendo pegar três a oito anos de reclusão, e multa.

Apesar do número alto de receptações nos primeiros seis meses de 2019, no ano passado no mesmo período 1179 ocorrências foram registradas, segundo a Sejusp, sendo 382 na Capital.