Menu
domingo, 25 de julho de 2021
PMCG REFIS 16 A 29/07
Cidades

Teste para detectar autismo pode virar lei e ajudar pais a se prepararem para lidar com a criança

Aplicação do questionário é fácil e gratuito, diz projeto de lei na ALMS

09 maio 2019 - 19h00Por Thiago de Souza

Projeto de lei obriga todas as unidades de saúde de Mato Grosso do Sul a aplicarem o teste conhecido como ''M-CHAT'', que consegue detectar precocemente o Transtorno do Espectro Autista em crianças de 18 a 24 meses. A aplicação do questionário é gratuita e pode ajudar os pais a conhecerem mais a doença e melhor lidar com a criança.

A autoria do PL 0064/19, é do deputado Neno Razuk (PR), e foi apresentado em abril deste ano. O parlamentar afirma que o questionário Modified  Checklist for Autism in Toddlers, sigla em inglês, é fácil de ser aplicado. 

''A grande vantagem, é que é, e pode ser rápido, simples e autopreenchido pelos pais ou, desde que eles sejam apenas alfabetizados, não necessitando dos responsáveis treinamento específico para sua aplicação'', ressaltou o deputado de primeira viagem. 

Razuk, filho da prefeita de Dourados, Délia Razuk, segue com as justificativas:

''Como todo instrumento de triagem, ele temo objetivo de ser o mais sensível possível, para facilitar o diagnóstico precoce do maior número de crianças. Por ser um instrumento de escala em questionário, sem a necessidade de equipamentos e laboratório, o M-CHAT apresenta-se como uma para o para um diagnóstico precoce, alternativa eficiente e sem custos financeiros do TEA'', explicou.

O autismo, segue o texto, é um transtorno que causa problemas no desenvolvimento da linguagem, nos processos de comunicação, na interação e comportamento social da criança.

Apesar de não ter cura, o transtorno pode ser trabalhado, reabilitado, modificado e tratado para que, assim, o paciente possa se adequar ao convívio social e às atividades acadêmicas o melhor possível. Estaria aí a importância do diagnóstico precoce.

O PL 64 traz estimativa da Organização Mundial da Saúde, que aponta para  70 milhões de pessoas no mundo com algum tipo de autismo. No Brasil,  esse número gira em torno de 2 milhões.

Sem barreiras

A foto que ilustra esta matéria é de Fernando Gaspar da Silva, 15 anos, que estudou na Escola Municipal Harry Amorim Costa, em Campo Grande. Ele é portador de autismo e, em 2017, escreveu o livro ''Brad, o urso azul'', produzido em apenas um mês.

Leia Também

Trabalhador cai de altura de 5 metros e morre na Santa Casa
Cidade Morena
Trabalhador cai de altura de 5 metros e morre na Santa Casa
Após motoboy ser encontrado morto, familiares pedem esclarecimentos sobre acidente
In Memoriam
Após motoboy ser encontrado morto, familiares pedem esclarecimentos sobre acidente
Mãe e filha de 11 anos são mortas na fronteira em atentado a tiros
Polícia
Mãe e filha de 11 anos são mortas na fronteira em atentado a tiros
Em Dourados, prefeito Alan Guedes desativa leitos de UTI após suspeitas em dispensa de licitação
Cidades
Em Dourados, prefeito Alan Guedes desativa leitos de UTI após suspeitas em dispensa de licitação