Menu
Busca sábado, 28 de março de 2020
Coronavirus
Cidades

Verruck cria protocolos sanitários para manter serviços essenciais em indústrias e frigoríficos

Ele destacou que o cuidado com a saúde continua

25 março 2020 - 18h46Por Thiago de Souza

Jaime Verruck, titular da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura, informou, nesta quarta-feira (25), que criou protocolos sanitários que permitem o funcionamento de setores essenciais da economia, como frigoríficos e indústrias. 

Conforme o gestor, que falou por meio de uma transmissão ao vivo nas redes sociais, as atividades essenciais têm de ser mantidas e por isso a medida foi adotada para que trabalhadores de grandes empresas, como frigoríficos, possam chegar ao seu local de trabalho com segurança, apesar do isolamento social imposto em várias cidades do estado. 

''Apesar disso, não podemos diminuir a vigilância. Sabemos que o vírus está circulando e de forma comunitária'', destacou Verruck. 

Verruck disse que o governo não fechou estradas e não impediu a circulação de pessoas, mas em alguns pontos, sobretudo nas dividas, há uma vigilância sanitária, inclusive com medição da temperatura das pessoas para identificar algum infectado pelo coronavírus. 

O titular da Semagro criticou alguns prefeitos que fizeram fechamento de algumas rodovias, alertando para o risco de risco de abastecimento de alimentos nas cidades. 

 

Leia Também

Militares denunciam vários quartéis sem prevenção contra coronavírus em Campo Grande
Cidade Morena
Militares denunciam vários quartéis sem prevenção contra coronavírus em Campo Grande
STF suspende dívida de MS e libera dinheiro para combater coronavírus
Economia
STF suspende dívida de MS e libera dinheiro para combater coronavírus
Combate à Covid-19 poderá ter os R$ 2 bi do fundão, define relator
Política
Combate à Covid-19 poderá ter os R$ 2 bi do fundão, define relator
Ciro promete levar Bolsonaro a Haia por genocídio e crime contra a humanidade
Política
Ciro promete levar Bolsonaro a Haia por genocídio e crime contra a humanidade