TJMS JANEIRO
Menu
quinta, 20 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
CORONAVÍRUS

Por que Marquinhos pegou covid com 3ª dose? Entenda como vacina diminui riscos

Muitos questionam o motivo do prefeito ser contaminado: infectologista Everton Lemos explica a população que a vacina é muito importante e potencializa o sistema imunológico para prevenir de uma nova infecção

09 janeiro 2022 - 13h30Por Rayani Santa Cruz

Diante de um cenário pandêmico pela covid, surto de casos de Influenza e até mesmo das duas doenças em simultâneo [flurona], e ainda existirem pessoas que negam a vacina, o TopMídiaNews procurou o Doutor em doenças infecciosas, enfermeiro Everton Lemos, que destacou a importância de se imunizar.

“Ahhh mas tem gente que tomou as três doses e pegou a doença”, disse um internauta na página do site. 

Aos negacionistas de plantão, é bom dizer que a vacina é o ponto crucial entre as formas mais graves da doença e sintomas brandos ao ser infectado. 

Reduz risco de morte

O infectologista Everton Lemos explicou que mesmo quando a pessoa se vacina contra a covid-19 com as três doses, ou duas doses no caso da Janssen, o imunizante não elimina a chance da pessoa se infectar. Mas tem o grande X da questão: reduz risco de morrer!

Ponto 1:

“A vacina não elimina a possibilidade de se infectar, enquanto tivermos o vírus em circulação, e com o maior número de pessoas contaminadas, o risco de se infectar permanece. Contudo, os estudos tem confirmado, a redução de casos com gravidade e óbitos, associado ao processo de imunização.”
Lemos diz também a imunidade do individuo aumenta.

Ponto 2:

“O risco de gravidade diminui consideravelmente. Estudos recentes mostram inclusive, que pessoas que já tiveram COVID-19 e ao se imunizar com a vacina contra covid-19, potencializa o seu sistema imunológico para prevenir de uma nova infecção. Isso é importante destacar, uma vez que, a memória imunológica não é permanente, ou seja, pessoas que já pegaram COVID-19 no ano passado estão susceptíveis a se infectarem. Com a vacina, se infectarem o risco de gravidade se torna menor.”

Fator individual conta na imunização

O infectologista foi questionado sobre os casos de morte pela covid após a vacinação completa e explicou que fatores diversos podem ocasionar o óbito.  

“A existência de fatores individuais, certamente determina um quadro leve, moderado ou com gravidade. Nesse sentindo, embora a vacina reduza o risco de complicações, ela não impede em 100% que isso ocorra. Por isso, a importância de cuidados adicionais. A vacina é uma das estratégias, já que os indivíduos podem apresentar diversos fatores que poderá potencializar a gravidade da doença.” 

Ainda que a pessoa tenha tomado todas as doses, as comorbidades podem ser fator de grande risco para o óbito?

“Sim, as comorbidade, principalmente Hipertensão Arterial de Diabetes, podem aumentar o risco para óbitos. Neste sentindo, é importante permanecer os cuidados, visto que, estamos enfrentando um surto de H3N2, onde a influenza apresenta riscos importantes para gravidade, principalmente neste grupo.” 

Co-infectados e Flurona

Surgiram casos de “flurona” em MS, onde as pessoas se contaminam com vírus da covid e Influenza. As pessoas podem tomar as duas vacinas ao mesmo tempo para prevenção ou tem de esperar 15 dias entre uma e outra?

“Os vírus estão circulando simultaneamente, desta forma, pode ser co-infectado. Os cuidados contra a influenza são os mesmos realizados para a COVID-19, por se tratar de doenças de transmissão respiratória. Quanto a imunização simultânea, o Ministério da Saúde divulgou uma nota técnica que permite a realização de doses contra influenza no mesmo dia da COVID-19.”