(67) 99826-0686
Origem - entregas

Bernal diz que vai deixar dinheiro em caixa para Marquinhos, mas esconde números

Prefeito realizou prestação de contas, mas deixou dados importantes em 'segredo'

7 DEZ 2016
Airton Raes e Rodson Willyans
16h57min
Foto: Rodson Willyans

A prestação de contas da prefeitura foi marcada pela ausência de informações e pela apresentação de desculpas referentes a crise na prefeitura. O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), destacou que era a primeira vez que um prefeito ‘abria as contas’ da prefeitura, mas não informou quanto irá deixar em caixa e quanto vai deixar em dívidas para o próximo prefeito Marcos Marcello Trad (PSD).

Bernal afirmou apenas que vai deixar em caixa um valor menor do que recebeu do ex-prefeito Gilmar Olarte, quando retornou ao cargo em agosto de 2015. Na prestação de entrega de mandato, Olarte havia deixado R$ 280 milhões.

Alcides Bernal afirmou que a prefeitura de Campo Grande se encontra em situação grave atualmente. Porém reafirmou o compromisso de apresentar essas informações. Entre os motivos para a dificuldade financeira que a prefeitura enfrenta, Bernal culpou a administração Olarte e os vereadores que o cassaram, se referindo a eles como “quadrilha”.

Segundo o prefeito, o prejuízo deixado por Olarte foi de R$ 1 bilhão. Ele também culpou o suposto desmonte feito por Gilmar Olarte na administração municipal. “A partir do momento que Olarte assumiu a prefeitura foi identificado que houve um desajuste nas contas”, explicou.

Outro 'vilão' da crise financeira citado por ele seria o consórcio Solurb. Conforme Bernal, a concessionária que realiza a coleta de lixo possui um contrato que gira em torno de R$ 4 milhões e R$ 5 milhões, mas a prefeitura paga mensalmente R$ 12 milhões ao grupo. “Isso acaba prejudicando a receita da prefeitura. Devido a judicialização pela Solurb, 20% dos repasses do ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) e do FPM (Fundo de Participação dos Municípios) vão para pagar a Solurb”, explicou. 

Veja também