Menu
quinta, 01 de outubro de 2020
Economia

Responsável por 126 mil novos empregos, indústria fecha ano em crescimento em MS

O saldo positivo foi comemorado pelo presidente da Fiems, Sergio Longen, e pelo secretário Jaime Verruck

16 dezembro 2019 - 19h00Por Rayani Santa Cruz

O PIB (Produto Interno Bruto) industrial de Mato Grosso do Sul teve um crescimento de 6,37% em 2019. A informação foi passada na manhã desta segunda-feira (16), pelo presidente da Fiems (Federação das Indústrias de MS), Sergio Longen, que também fez projeções de crescimento do setor em 5,1% até 2023.

"Nós precisamos manter o desenvolvimento da nossa atividade no mercado interno e externo. Temos de ser competitivos. Esperamos comemorar ano a ano o crescimento. Ficamos satisfeitos com os resultados em 2019", diz Longen.

O PIB industrial apresentou o valor de R$ 21,7 bilhões esse ano, sendo que em 2018 o ano fechou com R$ 20,4 bilhões. O desempenho industrial do Estado está em conformidade com o planejamento e este ano o MS ocupa a 15° posição no Brasil, com participação de 1,46% do PIB brasileiro. 

Em 2019

O desempenho industrial foi positivo. A indústria do Estado contratou 126.100 trabalhadores, um aumento de 1,32% em relação a 2018 quando o número foi de 124.452. Houve um aumento de 1,10% de estabelecimentos industriais, já que em 2018 eram 5.916 e em 2019 o ano fecha com 5.981.

As exportações tiveram um aumento de 2,82%. Em 2018, foram 3,55 bilhões de dólares, enquanto que em 2019 3,65 bilhões de dólares em produtos exportados. 

PIB estadual e setores

Em relação ao PIB estadual a participação da agropecuária está em 18% com R$ 15,2 bilhões; a administração pública com 19% e R$ 16,7 bilhões; a indústria com 22% e 19,1 bilhões; e o setor de serviços e comércio com 41% totalizando 35,4 bilhões.

Os principais segmentos industriais estão com o seguinte ranking : 1° Frigoríficos e produtos de carne com 110 empresas, empregando 27.213 pessoas e tendo o valor de produção de R$ 14,2 bilhões; em 2° lugar está o setor da indústria sucroenergética com 19 empresas no ramo que dão emprego a 20.500 pessoas com valor de produção de R$ 6,355 bilhões; em 3° posição está o setor de indústria de papel e celulose com 31 empresas, 6374 empregados e valor de R$ 6 bilhões em produção. 

O secretário da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), Jaime Verruck, pontuou que o Estado vem dando incentivos fiscais para as empresas para contribuir com o crescimento. Ele citou o Fadefe (Fundo de Apoio ao Desenvolvimento Econômico e de Equilíbrio Fiscal do Estado), que foi aderido por 499 empresas e que deve gerar 12 mil empregos até 2032 e R$ 16 bilhões ao Estado. 

“Isso tem impactado positivamente na arrecadação do Estado, e temos um novo plano do Fadefe para ser aprovado na Assembleia Legislativa. O empresariado ainda pode se surpreender com a regularização dos incentivos fiscais”, finalizou Verruck. 

Leia Também

'Não tem que fechar nada', diz Bolsonaro sobre covid-19
Política
'Não tem que fechar nada', diz Bolsonaro sobre covid-19
Família de adolescente que sobreviveu à descarga elétrica faz pastelada para pagar tratamento
Cidade Morena
Família de adolescente que sobreviveu à descarga elétrica faz pastelada para pagar tratamento
Usuário de drogas surta e ameaça matar a irmã e a sobrinha em Campo Grande
Polícia
Usuário de drogas surta e ameaça matar a irmã e a sobrinha em Campo Grande
Agricultor, servidora e atual prefeito estão na disputa pelo comando de Anaurilândia
Política
Agricultor, servidora e atual prefeito estão na disputa pelo comando de Anaurilândia