(67) 99826-0686
Dengue

Associação lamenta morte de policial militar de 25 anos

PM foi alvo de tiros em confronto com suspeitos no interior de MS

10 FEV 2019
Amanda Amaral
13h06min
Foto: Reprodução/Facebook

A Associação dos Militares Estaduais de Mato Grosso do Sul (Ame/MS) divulgou nota oficial lamentando a morte do soldado da Polícia Militar Juciel Rocha Professor, de 25 anos. Ele foi morto a tiros na madrugada deste domingo (10), enquanto lanchava com alguns amigos em um estabelecimento de Maracaju, a 164 km de Campo Grande.

Conforme a nota, o Policial Militar era lotado na 2ª CIPM (Companhia Independente de Polícia Militar) de Maracaju e fez parte da turma do Curso de Formação de Soldados de 2015/2016.

“A Diretoria da AME-MS, irmanada a todos os Policiais e Bombeiros Militares de MS, lamenta o fato ocorrido e roga a Deus para que dê forças aos familiares e amigos neste momento de perda”.

Nas redes sociais, amigos e familiares de Juciel também lamentam e se revoltam com o ocorrido. Não foi informado, até a publicação da matéria, informações sobre velório e sepultamento do policial.

O caso

O Policial Militar Juciel Rocha Professor foi assassinado na madrugada deste domingo (10), com vários disparos de arma de fogo enquanto lanchava em uma lanchonete em Maracaju. De acordo com o site Maracaju Speed, Rocha estava acompanhado de alguns amigos, quando um homem chegou ao local e atirou no policial pelas costas.

Um dos suspeitos já foi preso. De acordo com o Batalhão de Choque, após a morte do policial, militares foram encaminhados para a região para dar apoio na busca pelos suspeitos. No total, cinco pessoas são suspeitas de cometer o crime, mas a identificação do grupo criminoso ainda não foi repassada para a imprensa.

Conforme a polícia, um dos envolvidos se entregou na Delegacia de Polícia Civil do município, outro foi preso pela Polícia Civil, outro foi preso pela Polícia Militar, um foi detido pelo Batalhão de Choque e o outro, entrou em confronto com os policiais e foi morto.

A prisão dos suspeitos foi realizada durante operação de policiais do DOF (Departamento de Operações de Fronteira), Polícia Civil, Polícia Militar e Bope.

Veja também