Menu
sábado, 26 de setembro de 2020
Geral

BBB do crime: Traficantes monitoram polícia através de câmeras

Sistema foi descoberto e removido ontem durante operação na comunidade carioca, em que um suspeito foi morto

16 março 2019 - 10h24Por Meia Hora

Traficantes do Complexo da Serrinha, em Madureira, na Zona Norte do Rio, instalaram um sistema de câmeras de vigilância para monitorar a movimentação da polícia em operações e de rivais em tentativas de invasão. O complexo é dominado por traficantes do Terceiro Comando Puro (TCP), chefiados por Walace de Brito Trindade, o Lacosta. O Portal dos Procurados oferece recompensa de R$ 10 mil por informações que levem à prisão do criminoso.

O sistema foi descoberto e removido ontem durante uma grande operação da PM na favela. A ação do Comando de Operações Especiais (COE) contou com homens da Coordenadoria de Inteligência, do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), do 3º BPM (Méier), do Batalhão de Ações com Cães (BAC) e do Grupamento Aeromóvel (GAM).

Houve intenso confronto e um suspeito foi morto. Uma pistola 9 mm, 17 munições, um carregador, um simulacro de pistola, um radiotransmissor, sete frascos de lança-perfume, 135 trouxinhas de maconha e 288 pinos de cocaína foram apreendidos com ele.

As câmeras ficavam escondidas em caixas pretas fixadas nos altos de postes das principais vielas da comunidade. Além da remoção dos equipamentos de vigilância, a polícia apreendeu, na operação, cerca de 30 kg, 1.800 trouxinhas, 56 tiras e 450 cigarros de maconha e munição para fuzil.

Segundo policiais ouvidos pelo MEIA HORA, traficantes de várias comunidades usam câmeras não só para monitorar as ações policiais, mas também para vigiar moradores. Já foram retiradas câmeras nas comunidades do Vidigal, Acari e Juramento, entre outras.