Menu
Busca quarta, 03 de junho de 2020
Camara - corona
Geral

'Ele ficou no Ninho para o aniversário do amigo', diz familiar em velório de goleiro do Flamengo

Apesar de ter recebido folga dos treinos no fim da semana, o jovem optou por passar a noite no local com os amigos

10 fevereiro 2019 - 11h48Por Extra

Parentes e amigos de Christian Esmério, de 15 anos, uma das dez vítimas do incêndio no Ninho do Urubu, se reúnem desde as 10h deste domingo para o velório do goleiro do Flamengo, no Cemitério de Irajá, Zona Norte do Rio. Cerca de 400 pessoas se despedem de Christian, que será sepultado por volta do meio-dia.

Os familiares usam uma camisa com a foto do jovem atleta acompanhada da frase "saudades eternas, meu branco", como Christian era carinhosamente chamado. Por conta do calor na manhã deste domingo, e também pela consternação causada pela tragédia, algumas pessoas passaram mal e precisaram sair da capela onde o corpo é velado.

A família de Christian mora em Madureira, Zona Oeste do Rio. Apesar de ter recebido folga dos treinos no fim da semana, o jovem optou por passar a noite de quinta para sexta no alojamento do Ninho do Urubu, junto a colegas de outros estados que viviam no local. Alan Silva, tio de Christian, disse que a decisão do jovem passou pelo aniversário de Arthur Vinícius,outra vítima do incêndio , que seria no sábado.

"Ele ficou no Ninho para o aniversário do rapaz de Volta Redonda, que era muito amigo do Christian e ficava muito sozinho aqui no Rio. Aí os meninos decidiram fazer uma surpresa para ele. Por isso que ele dormiu lá, se não fosse isso a gente buscava", disse Alan.

Thiego Santos, amigo da família, mostrava no pescoço uma das várias medalhas de Christian, trazidas por parentes para o velório.

"O Christian era um moleque super extrovertido, e o Flamengo era como se fosse a casa dele. Ele morreu fazendo o que mais gostava, o que deixava ele feliz", disse Thiego.

Abalados, os pais de Christian, Andréa e Cristiano Esmério, disseram não ter condições de falar com os jornalistas. O caixão do jovem atleta é coberto por uma bandeira do Flamengo e também um troféu conquistado pelo goleiro.

Funcionários e jovens atletas do Madureira, clube onde Christian deu seus primeiros passos no futebol, compareceram ao velório. O Flamengo enviou uma coroa de flores em nome dos funcionários e do clube, mas nenhum dirigente havia comparecido e se identificado no local até as 11h30m.

Alan Silva, o tio do jogador, e Thiego Santos, amigo da família, evitaram culpar o Flamengo pela tragédia. Manoel Carlos Sotello, o Carlão, roupeiro do futsal do Madureira, descreveu o incêndio como uma "fatalidade".

"A estrutura do Flamengo, tratando-se de futebol de base, é de primeiro mundo. Podia ser que faltasse alguma coisa, mas era bom. Creio que não foi por mal, nem por erro de ninguém. Foi uma fatalidade", afirmou.

Carlão segurava o choro ao comentar a trajetória de Christian, que já tinha recebido convocações para a seleção brasileira sub-15 e sub-17. Christian assinaria seu primeiro contrato profissional com o Flamengo em março, quando completaria 16 anos, e já tinha recebido sondagens de clubes do exterior, segundo familiares.

"Eu falei com o Christian no fim do ano e ele me agradeceu pelos esporros que eu dava no Madureira. A gente sabia que ele ia chegar lá, que ele tinha muito potencial", lamentou Carlão.

Leia Também

RECORDE DO DESESPERO: Brasil registra 32,5 mil mortos pela covid-19
Geral
RECORDE DO DESESPERO: Brasil registra 32,5 mil mortos pela covid-19
GOSTOU? Trump não tem efeitos colaterais por tomar hidroxicloroquina
Geral
GOSTOU? Trump não tem efeitos colaterais por tomar hidroxicloroquina
FILIADO AO DEM: Pedrossian Neto nega saída de secretaria para ser vice de Marquinhos
Política
FILIADO AO DEM: Pedrossian Neto nega saída de secretaria para ser vice de Marquinhos
PM transfere tenente que matou professora no trânsito do interior para Campo Grande
Cidade Morena
PM transfere tenente que matou professora no trânsito do interior para Campo Grande