Menu
Busca terça, 04 de agosto de 2020
Linha de frente - compet
Geral

Em quatro meses, MS reduz 1.871 crimes e feminicídio cai em 8,3%

Apesar de fazer fronteira seca com dois países e possuir a maior população carcerária do Brasil, MS é um dos estados mais seguros

26 maio 2020 - 09h47Por Rayani Santa Cruz

Levantamento do Monitor da Violência realizado pelo G1, Núcleo de Estudos da Violência da USP,  Fórum Brasileiro de Segurança Pública e os números da Secretaria de Justiça e Segurança Pública indicaram que Mato Grosso do Sul é um dos estados mais seguros do Brasil.

Conforme o Portal do MS, relatório do Núcleo de Estatística e Análise Criminal mostra que nos primeiros quatro meses do ano (janeiro a abril), o estado teve queda de 12,56% nos delitos. Foram 1.871 crimes a menos. Dos 12 tipos de crimes, nove sofreram reduções, incluindo feminicídio (-8,3%), furtos (-11,9%) e roubos (-17,4%).

Crimes violentos

Já o Monitor da Violência revela que em março, último mês disponível da pesquisa, Mato Grosso do Sul teve o 4º menor índice de crimes violentos (1,37 para cada 100 mil habitantes). Os únicos estados que conseguiram números melhores foram São Paulo (0,73), Santa Catarina (1,10) e Rio Grande do Sul (1,32). Enquanto isso, a média nacional foi de 1,97 crimes violentos/100 mil habitantes.

Queda constante

A redução de crimes no Estado não é uma novidade causada pela pandemia do novo coronavírus, mas um resultado que tem se repetido continuamente. Observando os dados do Monitor da Violência, chama a atenção a queda ano a ano, de forma ininterrupta, registrada pelo levantamento a partir de 2017, quando o índice de mortes violentas caiu de 23,3 para 20,6 para cada 100 mil habitantes. Um ano depois, o índice encolheu para 17,5 e, em 2019, recuou ainda mais, para 16,96.

Para o secretário de Justiça e Segurança Pública, Antônio Carlos Videira, os números são produtos dos chamados três “is”: Inteligência, Investimento e Integração entre as forças de segurança, sistema penitenciário e outras secretarias.

“É um conjunto que regido de forma integrada pelos gestores das instituições que integram a Secretaria de Justiça e Segurança Pública conseguem resultados esperados. Quando você começa a competir com seus próprios números, aumenta o desafio. Se você pega uma descendente e com crescimento populacional, você tem não apenas que manter os investimentos, mas aumentar os trabalhos de todas as instituições, com o apoio indispensável de outras secretarias, principalmente da Educação, da Saúde, da Infraestrutura e Assistência Social”, disse.

Investimento em segurança

Desde 2015, Mato Grosso do Sul investiu mais de R$ 130 milhões em aquisição de viaturas, armamentos, munições, comunicação e equipamentos de proteção, concursos, formação, habilitação e promoções.

Videira explicou, no entanto, que o trabalho no combate à criminalidade e à violência não se restringe ao trabalho de prevenção e repressão, mas também ao monitoramento constante dos resultados, às medidas de ressocialização e ao investimento de forma equilibrada entre as forças de segurança.

É um trabalho contínuo que não para nem mesmo no ano da pandemia de Covid-19. Mais de 300 viaturas vão ser entregues neste ano, entre vários outros investimentos como melhorias nas instalações das unidades de segurança.

Leia Também

BURACO ERRADO: homem descobre traição em festinha de casais, quebra motel e agride PM em Dourados
Interior
BURACO ERRADO: homem descobre traição em festinha de casais, quebra motel e agride PM em Dourados
Gordinha tieta goleiro Bruno e leitor faz piada: 'precisa de dez cachorros para devorá-la'
Geral
Gordinha tieta goleiro Bruno e leitor faz piada: 'precisa de dez cachorros para devorá-la'
CRIME E CASTIGO: depois de assassinar esposa a facadas, homem bate o carro e morre ao fugir
Geral
CRIME E CASTIGO: depois de assassinar esposa a facadas, homem bate o carro e morre ao fugir
Depois de seis dias 'na lona', Delcídio tem alta da 'covidengue' em Campo Grande
Cidade Morena
Depois de seis dias 'na lona', Delcídio tem alta da 'covidengue' em Campo Grande