Menu
terça, 15 de junho de 2021
Geral

Estudo paralelo: Osmar Terra e auditor da TCU serão ouvidos na CPI da Covid

Auditor escreveu estudo alegando subnotificação de mortes da doença; deputado federal é ligado a um possível gabinete paralelo que alimentava informações ao presidente

09 junho 2021 - 17h50Por Vinicius Costa

O deputado federal Osmar Terra (MDB-RS) e o auditor do TCU (Tribunal de Contas da União), Alexandre Figueiredo Costa Silva Marques, responsável por criar uma nota de um estudo paralelo que indicativa uma subnotificação de mortes pela covid, serão ouvidos pela CPI da Covid-19. O pedido pela convocação dos dois nomes foi aprovado nesta quarta-feira (9).

Inclusive, nesta quarta, o servidor foi afastado pelos próximos dois meses de sua função após decisão da presidente do TCU, a ministra Ana Arraes, que também autorizou a abertura de processo administrativo disciplinar, conforme detalhes do site Correio Braziliense.

Alexandre foi o autor de um estudo que indicava que metade das mortes ocorridas no ano passado não foram causadas pela covid-19. O estudo chegou a ser usado pelo presidente Jair Bolsonaro, na segunda-feira (7), como sendo ligado ao TCU. “Ali, o relatório final não é conclusivo, mas disse que em torno de 50% dos óbitos por covid no ano passado não foram por covid, segundo o Tribunal de Contas da União.

Contudo, o Tribunal de Contas desmentiu a informação e pouco depois foi confirmada a existência de um 'estudo paralelo'. “O TCU esclarece que não há informações em relatórios do Tribunal que apontem que ‘em torno de 50% dos óbitos por covid no ano passado não foram por covid’, conforme afirmação do presidente Jair Bolsonaro”, ressaltou.

Em relação a Osmar Terra, a CPI entende que ele fazia parte de um gabinete que servia como assessoramento paralelo que alimentaria o presidente com informações negacionistas no combate à pandemia. A convocação ganhou mais força após um vídeo antigo ser resgatado no Facebook.

Nas crises políticas que o Ministério da Saúde viveu ao longo da pandemia, Terra chegou a ser relacionado para assumir o cargo.

Além dos dois, foram convocados o ex-secretário de Saúde do Distrito Federal Francisco de Araújo Filho; Felipe Cruz Pedri, secretário de Comunicação Institucional no Ministério das Comunicações; o empresário José Alves Filho; o presidente da Apsen Farmacêutica, Renato Spallicci; e o desenvolvedor do aplicativo TrateCov ou responsável da empresa contratada para este fim.