Menu
segunda, 17 de maio de 2021
MS CRESCE PELA VIDA 14 a 18/05/2021
Geral

Grávida morre por falta de kit intubação no RJ; bebê está internada

Hospital nega acusação dos familiares

19 abril 2021 - 21h21Por Thiago de Souza

Maria Laura Prucoli, 23 anos, morreu, neste domingo (18), depois de passar por uma cesárea de emergência, no Hospital Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro. A morte dela foi atribuída à falta do chamado ‘’kit intubação’’. 

Conforme o O Dia, Maria Laura foi internada no dia 29 de março, com sintomas da covid-19. Cinco dias depois, ela teve complicações e os médicos decidiram adiantar o parto. 

Depois da cesárea, Maria Laura teve o quadro de saúde agravado. Ela precisou ser intubada, momento que a família dela passou a denunciar a falta de medicamentos na unidade, como um bloqueador neuromuscular. Os familiares contaram que foi preciso juntar R$ 11 mil para comprar os medicamentos necessários, mas sem sucesso. 

A bebê, registrada como Lavínia Prucoli dos Santos, nasceu bem e saudável, mas também foi contaminada com covid-19 e precisará ficar internada. O estado de saúde dela é estável.

Despedida

Maria Laura recebeu várias homenagens nas redes sociais. Eles deixaram mensagens de amor e afeto. 

"Sei o quanto gostava de flores e suculentas. Essa é uma pequena forma de homenagem. Minha menina, que Deus lhe dê a luz e o descanso eterno. Te amarei eternamente", escreveu um parente, com uma foto da flor favorita de Laura.

Questionada sobre a falta do medicamento na unidade, a direção do Hospital Estadual Adão Pereira Nunes (HEAPN) informou que a paciente Maria Laura Prucolli morreu às 5h deste domingo (18) em decorrência de complicações da covid-19.

A unidade informou ainda que "não procede a informação de falta de sedativos na unidade e nem que esta seria a causa do óbito".