ALMS junho neocom
Menu
sábado, 19 de junho de 2021
MEDIDAS RESTRITIVAS 19/06 a 30/06/2021
Geral

VÍDEO: moradores denunciam buraco que ameaça desabar avenida movimentada

Cratera chega a dez metros de profundidade

03 abril 2019 - 10h41Por Da redação/94fm Dourados

Um vídeo que corre as redes sociais e foi obtido pela 94FM nesta terça-feira (2) mostra a surpresa das autoridades com um enorme buraco que provocou a interdição da Avenida Presidente Vargas, no sentido Norte/Sul, entre as ruas Suíça (próximo ao Auto Posto Pantanal) e General Câmara (última do BNH 3º Plano).

Segundo a Prefeitura de Dourados, há risco real de desabamento. Conforme divulgado pela administração municipal, naquele trecho passa o Córrego Laranja Doce que, com as últimas chuvas, vem corroendo a terra, formando uma cratera com cerca de dez metros de profundidade, já tendo chegado a derrubar uma pequena parte do asfalto, junto ao canteiro central.

Na manhã de hoje, a secretária de Obras Marise Bianchi Maciel, o engenheiro Jorge Hamilton Torraca, integrantes da Defesa Civil, o diretor presidente da Agetran, Carlos Fábio Selhorst dos Santos e a Guarda Municipal foram até o local. “A liberação da pista sentido Itaporã foi autorizada pela Secretaria de Obras. Por enquanto, o trânsito está sendo desviado para a Rua Hayel Bon Faker, que liga o centro da cidade ao Jardim Europa. A interdição será monitorada pela Agetran e pela Guarda Municipal, em plantão 24 horas”, detalhou a prefeitura.

Segundo o engenheiro da Secretaria de Obras, Jorge Hamilton Torraca, a água já corroeu uma grande parte subterrânea, não sendo possível determinar exatamente o espaço, mas certamente já chegou ao canteiro central. “Existe um risco real de desabamento e por isso é importante interditar o trecho, evitando que aconteça algum acidente mais grave, haja vista a possibilidade de abrir uma grande cratera”, avaliou.

A preocupação existe também com a possibilidade de chuvas fortes, que aumentaria substancialmente o volume de água do córrego, agravando o risco do desabamento. Todos os setores envolvidos estão providenciando a avaliação técnica segura e já requisitam o maquinário para que seja realizada a obra que deve durar no mínimo dez dias.