TCE ABRIL 16 A 22/04
Menu
quarta, 21 de abril de 2021
MS MAIS SOCIAL 21 E 22/04
Geral

No Acre, ex-BBB Vanderson depõe na delegacia da Mulher e nega acusações: 'Não sou agressor’

Biólogo foi ouvido na Deam, em Rio Branco, e a polícia arquivou o caso de estupro

25 janeiro 2019 - 11h45Por Reprodução / G1

De volta ao Acre, o ex-participante do Big Brother Brasil Vanderson Brito foi ouvido na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam), em Rio Branco, nesta quinta-feira (24), sobre as denúncias feitas por três mulheres.

Após o depoimento, o biólogo conversou acompanhado de advogados, ele negou todas as acusações e se disse surpreso com as denúncias.

“Foi uma surpresa extrema. Não fazia noção do que estava acontecendo. Fui acordado com a notícia de que teria que sair do programa, mas fui ter noção hoje [quinta,24] pela manhã quando me contaram quais eram as acusações. Tudo era muito superficial e agressivo, principalmente nas redes sociais”, relatou.

Vanderson foi denunciado na Deam por estupro, agressão física e importunação sexual. As denúncias foram feitas um dia antes do acreano entrar na casa do BBB.

"Não sou agressivo. Fui criado por quatro mulheres, três irmãs e minha mãe. A vivência com mulher é desde que nasci, trago isso para as relações, sejam de amizade ou amorosas. Isso é extremamente desconfortável porque tenho um histórico de vida, mas alguém pontua uma coisa e cria-se uma situação ou fragilidade emocional ou ego ferido e isso acaba ferindo a integridade do outro", reclamou.

Denúncias
Além das denúncias na delegacia, o biólogo foi acusado nas redes sociais de ser agressivo e abusivo nos relacionamentos amorosos. Uma dessas acusações partiu da ex-namorada Maíra Menezes, que afirmou ter sido agredida pelo professor. Os dois terminaram o relacionamento em 2011.

“Após três meses [do início do namoro], um familiar dela teve que viajar e fazer um transplante e o pai dela pediu para que eu ficasse ajudando ela e o irmão dela, que era menor de idade. Fiquei acompanhando esse processo por mais de dez meses. Acabou que criou-se mais um relacionamento fraternal do que casal mesmo. Nunca houve agressividade em ambas das partes. Sempre foi muito tranquilo”, defendeu-se.