Menu
Busca sábado, 07 de dezembro de 2019
Geral

Surpreso com prisão de sindicalista, Marquinhos diz que salários estão em dia e com reajuste

Marcos Tabosa, presidente do Sisem, foi preso por desobediência durante manifestação em frente a prefeitura

13 agosto 2019 - 13h08Por Rayani Santa Cruz

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) comentou sobre a prisão de Marcos Tabosa, presidente do Sisem (Sindicato dos Servidores Municipais de Campo Grande), na manhã desta terça-feira (13). Havia aproximadamente 50 servidores municipais no entorno do prédio da prefeitura, quando o sindicalista foi detido por uma equipe da Guarda Municipal.

Questionado se sabia da prisão, que ocorreu momentos antes do lançamento do programa de Wifi gratuito, o prefeito chegou a ficar surpreso. "Não [sabia], eu vi que ele estava reivindicando, e a reivindicação dele, embora justa, é impossível de ser concedida. Eu não sei se vocês pegaram os motivos das reclamações, mas não é em relação a atraso salarial, falta de reajuste ou de pontualidade de pagamento", comentou o prefeito.

Segundo ele, a manifestação era referente a reposição de valores que deveriam ser feitos em gestões anteriores.  "Eles querem reposições de gestões anteriores, que somatizam quase 25% e a cidade não tem como dar esse valor. Nós demos o reajuste linear a todos os servidores municipais, sendo de 4,03%", explicou.

O Caso

Nesta terça-feira (13), servidores filiados ao Sisem (Sindicato dos Servidores Municipais de Campo Grande), manifestaram em frente a prefeitura. O presidente do sindicato, Marcos Tabosa, foi detido por desobediência e encaminhado à Delegacia de Polícia do bairro Tiradentes. 

Ele teria sido preso após realizar assembleia na calçada da prefeitura, ao lado do prédio, na rua 25 de Dezembro.