TCE SETEMBRO
Menu
quinta, 23 de setembro de 2021 Campo Grande/MS
Sebrae
Geral

Vídeo de criança beijando arma sob ameaça era 'brincadeira', diz avó à polícia

Polícia Civil investiga o material encontrado no celular de um rapaz durante uma ocorrência

07 maio 2019 - 09h07Por G1 Jundiaí

A avó da criança de 6 anos que aparece sendo obrigada por um homem a beijar uma arma em um vídeo prestou depoimento à Polícia Civil. O caso é investigado em Votorantim (SP) e o suspeito pode responder por ameaça, segundo o boletim de ocorrência.

De acordo com o relato da parente à polícia, a mãe do menino contou para ela que o vídeo seria uma "brincadeira" do cunhado da criança.

Conforme o registro, o pai do garoto morreu e a guarda é da mãe, com quem ele mora. Contudo, familiares também ajudam a mãe a cuidar dele enquanto está no trabalho.

Ainda de acordo com o boletim, o vídeo teria sido gravado em algum momento de ausência da responsável.

Por não se tratar de flagrante, o rapaz que aparece nas imagens responde ao processo em liberdade.

'Beija o bagulho'

De acordo com o delegado Manoel Dini, a Polícia Militar apresentou na delegacia os homens que teriam participado do roubo de um carro encontrado na Vila São João. No endereço onde o veículo foi achado, dois homens fugiram e um terceiro confessou o crime.

Um dos rapazes detido também apontou o esconderijo onde estavam dois revólveres. Neste local os policiais encontraram dois suspeitos. Os vídeos foram achados no celular de um deles.

No celular do jovem, que não será identificado para que a criança seja preservada, a polícia encontrou dois.

Na primeira gravação aparece um menino, que aponta uma arma para quem está filmando e fala que "vai matar". "O moleque é 'zica' mesmo", diz o rapaz que faz a gravação.

O outro vídeo mostra o suspeito de participar do roubo segurando uma arma, enquanto o rapaz que filma fala: "Atira nele, atira nele". O menino fica assustado com as ameaças e começa a chorar.

Em seguida, o homem com o revólver nas mãos dá ordem ao menino: "Beija o bagulho", obrigando-o a beijar o cano do revólver duas vezes. Logo depois, ele puxa o cabelo do menino e dá um tapa. O vídeo termina com a criança correndo.

A arma que aparece no vídeo se assemelha à que foi apreendida pela polícia junto com outro revólver no roubo ao veículo.

A testemunha não reconheceu o dono do celular como envolvido no roubo do veículo.

As informações são do G1. Confira o vídeo aqui.